Grupo debate impactos ambientais  com intervenções no Morro Gaúcho

Arroio do Meio

Grupo debate impactos ambientais com intervenções no Morro Gaúcho

Reunião abordou construção de complexo turístico e a necessidade de mais arborização na área urbana da cidade

Por

Atualizado quinta-feira,
01 de Junho de 2023 às 17:12

Grupo debate impactos ambientais  com intervenções no Morro Gaúcho
Conversando Sobre Turismo realiza encontros desde 2017. Objetivo é de discutir os avanços e projetos na área (Foto: Gabriel Santos)
Arroio do Meio
Gustavo Adolfo 1 - Lateral vertical - Final vertical

A arborização da área urbana e os impactos e danos causados à fauna e flora com intervenções no Morro Gaúcho. Esses foram os temas principais abordados em encontro do grupo Conversando Sobre Turismo, que organiza, desde 2017, reuniões mensais pautadas nos projetos turísticos da cidade.

O encontro ocorreu na última terça-feira, na sede da Associação Comercial e Industrial (Acisam). Também participaram integrantes do Conselho Municipal de Meio Ambiente (Codeman), Apreciam, ONG Ecobé e a Associação de Água do Morro São José.

Conforme a coordenadora voluntária do grupo, a empresária, Liselena Bersch Neumann, o tema central da conversa foi direcionado à preservação ambiental com a apresentação do projeto Mais Árvores Arroio do Meio e os estudos realizados pela ONG Ecobé sobre a importância de preservar toda área que compreende o Morro Gaúcho, um dos principais atrativos turísticos da região.

Assim como os últimos encontros, um dos temas centrais foi a construção do Complexo Turístico do Gaúcho, que prevê investimentos em áreas de 60 hectares nos morros São José, Ventania e Gaúcho com a construção de estátua, roda gigante e hotel. O anúncio ocorreu em março.

A construção da estátua e intervenções na área são vistas com ressalvas. O engenheiro ambiental, Cleberton Diego Bianchini, integrante da ONG Ecobé, apresentou estudos feitos e realizados em anos anteriores em toda área de preservação do morro, onde foram identificados impactos negativos na fauna e flora.

Segundo ele, há poucas informações do empreendimento, pois a comunidade não teve acesso ao projeto completo. Na visão da ONG, um dos impactos da obra pode ser a perda de biodiversidade com a supressão de vegetação nativa, mudanças no visual da elevação natural e afugentamento de animais com a maior movimentação humana.

Segundo Cleberton, a Ecobé identifica há anos os impactos ambientais do morro gaúcho. Atualmente ainda é possivel apontar problemas realacionados a divisão de área de terra na área rural para criação de chacarás, caça ilegal de aves e outros animais silvestres e a abertura de trilhas.

Mais Árvores

O projeto surgiu há 28 dias com o objetivo de implantar um plano Municipal de Arborização Urbana. Integrantes apresentaram ao grupo os objetivos da ação. O grupo é liderado por moradores de Arroio do Meio que no anonimato mostravam a indignação com cortes e podas que motivaram a morte de algumas espécies no centro.

A intenção, de agora em diante, é de implantar políticas públicas espelhadas em outros municípios, mobilizando sociedade civil com ações referente a gestão, implantação e plantio de monitoramento de árvores na cidade.

Acompanhe
nossas
redes sociais