Líderes regionais consideram insuficientes medidas contra seca

POLÍTICA E CIDADANIA

Líderes regionais consideram insuficientes medidas contra seca

Representantes dos STRs da região acompanharam a visita de ministros ao RS. Ações anunciadas não contemplam rebate de financiamentos e recursos para nova safra

Por

Líderes regionais consideram insuficientes medidas contra seca
Comitiva do governo federal esteve ontem no Sul do estado para anunciar ações contra estiagem (Foto: Divulgação)
Vale do Taquari
Gustavo Adolfo 2 - Lateral vertical - Final vertical

Comitiva do governo federal detalhou ontem as ações emergenciais de enfrentamento à estiagem. Com o anúncio da liberação de R$ 430 milhões, a prioridade será na concessão de crédito aos pequenos agricultores, distribuição de cestas básicas e contratação de carros-pipa.

Do total, R$ 300 milhões cor- respondem a créditos para cerca de 70 mil produtores rurais, que serão custeados pelo Ministério do Desenvolvimento Agrário e Agricultura Familiar (MDA). Um
auxílio de R$ 2,4 mil será pago em duas parcelas para cerca de 10 mil famílias com registro no Cadastro Único, além da antecipação do Bolsa Família.

De acordo com o ministro Paulo Teixeira, também avança o diálogo com o governador Eduardo Leite para estudar novas ações a serem adotadas nos próximos meses. “Queremos criar um grupo de trabalho e estabelecer uma rotina para enfrentar o problema, inclusive para os próximos anos”, assegurou.

A solenidade foi acompanhada por representantes do Vale. Estiveram em Hulha Negra, no Sul do RS, o coordenador regional do Sindicato dos Trabalhadores Rurais (STR), Marcos Hinrichsen e os presidentes dos sindicatos de Estrela e Bom Retiro do Sul, Rogério Heemann e Romano José Potter. Segundo eles, o governo precisa atender as demandas dos agricultores que têm financiamento e prorrogar prazos.

A expectativa de que fosse confirmado o rebate de 35% nas parcelas vencidas foi frustrada. Da mesma forma, ficou de fora o pedido por linha de crédito de até R$ 50 mil com 10 anos para pagamento e rebate de 30% de adimplência.

Pela avaliação da Federação dos Trabalhadores na Agricultura no Rio Grande do Sul (Fetag/RS) a visita dos ministros foi positiva, mas com ações insuficientes. “Os maiores anseios dos agricultores familiares estão voltados à capacidade de armazenagem de água para consumo humano e animal, a manutenção da capacidade produtiva, além da garantia de que poderão honrar com seus compromissos financeiros”, observa o presidente da Fetag/RS, Carlos Joel da Silva.

Acompanhe
nossas
redes sociais