Moradores se mobilizam contra perturbações no bairro Americano

COMUNIDADE EM AÇÃO

Moradores se mobilizam contra perturbações no bairro Americano

Grupo elabora documento e cobra solução definitiva dos órgãos públicos

Por

Atualizado quinta-feira,
26 de Janeiro de 2023 às 08:33

Moradores se mobilizam contra perturbações no bairro Americano
Grupo se reuniu no fim da tarde desta quarta-feira,25, na Praça do Papai Noel. Crédito: Marcel Lovato
Lajeado
Gustavo Adolfo 2 - Lateral vertical - Final vertical

Em torno de 15 moradores do bairro Americano se reuniram no fim da tarde de ontem na Praça João Zart Sobrinho (Papai Noel) em busca de uma solução para a perturbação do sossego na região. O grupo reclama dos recorrentes casos de aglomerações de jovens à noite, sobretudo, no trecho entre a Avenida Alberto Pasqualini e uma casa noturna.

Conforme o presidente da Associação de Moradores, Adair Ruppenthal, um pedido de providências será elaborado com a participação da comunidade e encaminhado ao Executivo, Câmara de Vereadores, Ministério Público e Brigada Militar.

No documento, haverá cobrança de uma solução definitiva dos órgãos públicos, tais como constância na fiscalização e a mudança na legislação. Ou mesmo a criação de normais mais rígidas, com foco nesse tipo de problema. Uma das ideias do dirigente é buscar cases de sucesso em outros municípios e que podem ser adaptados ao contexto lajeadense.

Os participantes assinaram uma lista de presença, que deverá ser anexada à solicitação. Com base nas sugestões colhidas durante o encontro e em um grupo da comunidade no WhatsApp, o relatório será produzido e encaminhado até a próxima segunda-feira, 30. Cerca de 3 mil pessoas vivem na região.

Problema crônico

Entre quinta-feira e fins de semana, o problema se agrava. Os principais apontamentos dizem respeito ao consumo de bebidas alcoólicas, gritaria e som alto dos veículos. Na Praça do Papai Noel, a questão é a quantidade de resíduos deixados por frequentadores durante a madrugada. Devido à sujeira, o espaço fica inutilizável e prejudica o uso pelas crianças.

“O Código de Posturas do Município é mais permissivo do que restritivo. Quanto ao som alto, trata-se de um problema crônico local, pois apenas mudou de endereço ao longo dos anos. Antes ocorriam nos arredores da Univates, São Cristovão e agora voltaram ao Americano E isso acontece, justamente, porque o poder público não desenvolveu ações para resolver o problema”, aponta Ruppenthal.

Diante do cenário, os moradores entendem que os “direitos não são respeitados” e há a sensação crescente de “não ter a quem recorrer”. O presidente da associação lembrou, ainda, que houve uma solicitação junto ao Ministério Público de Lajeado, mas como era fim de ano, ainda não obteve resposta. A situação contribuiu para o novo movimento.

Acompanhe
nossas
redes sociais