Árbitro do Vale celebra estreia no Beira-Rio

Bandeira na mão

Árbitro do Vale celebra estreia no Beira-Rio

Juarez de Mello Júnior foi assistente no jogo entre Internacional e Juventude e projeta chegar à Série B do Campeonato Brasileiro este ano

Por

Atualizado quarta-feira,
25 de Janeiro de 2023 às 12:56

Árbitro do Vale celebra estreia no Beira-Rio
Acostumado a trabalhar no futebol amador, Júnior fez no sábado a estreia no Estádio Beira-Rio. Crédito: Arquivo Pessoal
Vale do Taquari
Gustavo Adolfo 2 - Lateral vertical - Final vertical

Quem assistiu o jogo entre Internacional e Juventude, na estreia do Campeonato Gaúcho, e é acostumado ao futebol amador da região, notou a presença de um conhecido em campo. Mais do que Mano Menezes, Celso Roth ou os atletas das duas equipes, a partida marcou a presença do árbitro assistente Juarez de Mello Júnior. Morador de Lajeado, ele divide a carreira entre o futebol profissional e amador e trabalhou pela primeira vez no Estádio Beira-Rio.

Júnior, como é conhecido, tem uma evolução muito grande nos rankings de arbitragem estadual e nacional. Em poucos anos, passou de cotado a trabalhar na Divisão de Acesso para um auxiliar conceituado nas Séries D e C do Campeonato Brasileiro, assim como o Campeonato Gaúcho. Enquanto isso, segue a rotina de trabalhos também nos clubes sociais da região e no futebol amador.

No primeiro jogo do ano, além de trabalhar pela primeira vez no Beira-Rio, esteve em campo junto de Leandro Vuaden, outro árbitro da região, natural de Estrela. “Significa muito para mim fazer o primeiro jogo neste estádio, e ainda mais ser escalado dentro de uma equipe de arbitragem tão forte. É o sinal que estou no caminho certo e a comissão de arbitragem confia em mim”, avalia Júnior.

O “bandeirinha” atualmente figura o quadro de Série A da Federação Gaúcha de Futebol e está nas letras C e D da Confederação Brasileira. Assim, pode trabalhar em campeonatos de categorias de base, quarta e terceira divisão profissional no Brasil. A expectativa é já em 2023 fazer a estreia na Série B. “O meu foco este ano é ter a oportunidade na segunda divisão do Brasileirão. Para isso preciso manter o foco e melhorar a cada jogo que for escalado”, destaca.

“Meu ano de 2022 foi muito bom”

Na temporada passada Júnior trabalhou em sete partidas do Gauchão e teve diversas oportunidades em competições nacionais. Além de trabalhar na Série D, estreou na Série C no jogo entre Paysandu e Figueirense. No quadrangular final, ainda teve a primeira experiência com o VAR. “Trabalhei como assistente em Aparecidense x Botafogo-SP e pela primeira vez tive o auxílio da tecnologia, foi uma experiência nova. Foi um ano de oportunidades e que dei o meu melhor em campo.”

Diferenças entre o amador e o profissional

Mesmo em ascensão na carreira, o árbitro não esquece das suas raízes e continua trabalhando no futebol amador. Para ele, as diferenças são claras. “No profissional é tudo muito técnico, intenso e seguro, então podemos trabalhar com tranquilidade. No amador é tudo aguerrido e com muita pressão dentro e fora de campo, às vezes até sem a segurança adequada. Acredito que consigo lidar muito bem com isso e faço o meu melhor independente de onde esteja.”

Em ascensão na carreira, árbitro assistente Juarez de Mello Júnior (segundo da dir. à esq.) pretende chegar à Série B do Brasileirão este ano . Crédito: Arquivo Pessoal

Acompanhe
nossas
redes sociais