Profissionais dão dicas para rotina saudável das crianças nas férias

NOSSOS FILHOS

Profissionais dão dicas para rotina saudável das crianças nas férias

Papel dos pais é fundamental em incentivar os filhos a se exercitarem, desde uma caminhada ao supermercado até a prática de um esporte. Brincadeiras também são importantes

Por

Profissionais dão dicas para rotina saudável das crianças nas férias
Professores de educação física foram os convidados da edição dessa quinta-feira de “Nossos Filhos”. Crédito: Divulgação
Lajeado
Gustavo Adolfo 2 - Lateral vertical - Final vertical

Buscar equilíbrio entre o descanso e a prática de exercícios físicos é o desafio que muitos pais têm com os filhos durante o período de férias escolares. Atividades ao ar livre são sempre bem-vindas. E espaços para isso não faltam, mesmo se a família não tiver condições financeiras ou tempo adequado para viajar.

O principal espelho dos filhos são os pais. Por isso, profissionais destacam o papel da família neste processo, de criar uma rotina adequada às crianças. Professores de educação física, Paulo Roberto Hoppen e Alvares Dias foram os convidados da edição passada de “Nossos Filhos”, programa multiplataforma do Grupo A Hora.

Com experiência profissional no atendimento ao público infantil, os dois destacam que o brincar deve ser bastante trabalhado nesta fase da vida. “Para os pequenos, a atividade física faz toda a diferença”, afirma Hoppen, que também chama atenção para o tempo destinado pelos pais. “Pode ser apenas 15 minutos por dia, mas o importante é a qualidade. Não adianta encher linguiça”.

Dias admite que muitos pais, com a rotina profissional agitada, dispõe de pouco tempo para a prática de exercícios com os filhos. Mesmo assim, é necessário encontrar uma forma de fazê-lo. “A atividade tem que ser prazerosa. Quem vai ter o papel mais difícil são os pais, de entrar na rotina, do que o filho. Pois eles são os estimuladores da criança”, argumenta.

Benefícios

Segundo Dias, uma boa rotina de atividades físicas às crianças é essencial para uma vida mais saudável no futuro. E as férias escolares são uma boa oportunidade de estabelecer esse vínculo. “Além de ajudar no desenvolvimento motor e no fortalecimento muscular, tem menor chance de desenvolver obesidade, melhora a qualidade do sono e fortalece conexões cerebrais. Ela vai aprender melhor na escola”.

Hoppen complementa que, a criança tendo uma boa relação com o próprio corpo, a autoestima também é melhorada. “Hoje, não só clubes e escolas particulares propõem atividades nesse intervalo de férias, mas também as prefeituras estão preocupadas com isso, em atingir uma meta de atividade às crianças nesse período”.

Em relação ao tempo, Dias lembra que há a recomendação de 60 minutos por dia de atividades físicas. “Nas escolas, em média, eram duas horas-aula por semana. Depois passou para uma. Enquanto isso, nos Estados Unidos, que é uma potência olímpica, são destinadas uma hora por dia nas escolas, sem contar as atividades no turno inverso. É questão de plantar e colher. Um dia nós temos que começar”.

Espaços adequados

Mesmo que muitas famílias não consigam viajar durante as férias, Hoppen ressalta que existem muitas possibilidades de passeios com as crianças, muitas vezes sem precisar sair da cidade. “Dá para fazer tudo a pé, ir no supermercado, visitar amigos e parentes, caminhar. É sair da poltrona e fazer. E é um momento onde os pais podem conversar mais com os filhos”.

Lajeado, por exemplo, dispõe de diversos espaços adequados para uma boa prática de atividades físicas, pontus Dias. “Eu mesmo, quando desenvolvo meu trabalho de psicomotricidade, utilizo muito as praças. Tem praça em quase todos os bairros e até uma pista de atletismo. É um diferencial de Lajeado que nem todas as cidades do mesmo porte têm”.

Riscos das telas

O comodismo é um dos maiores inimigos das famílias na tentativa de construir uma rotina de exercícios. No caso dos filhos, muitas vezes o celular, a televisão ou o computador são distrações “necessárias” enquanto os pais descansam após uma rotina exaustiva de trabalho.

“Na pandemia, fomos forçados a ficar dentro de casa e o nosso maior pecado virou a salvação. Agora, temos que dizer para os filhos: usem menos telas, vamos sair de casa. Temos que nos reinventar de novo e voltar às atividades de campo”, salienta Hoppen

Já Dias entende que a responsabilidade na questão das telas sempre vai para o colo dos pais. Por isso, ressalta a necessidade de criar uma rotina. “Se o pai convidar a criança para jogar futebol num dia, tenho certeza que no outro, ela vai estar esperando ele com o uniforme, pronta para jogar de novo. Isso é uma sementinha que se cria. Tem que sair um pouco da zona de conforto”.

Alguns exemplos de atividades físicas às crianças

– Pular corda
– Capoeira
– Balé
– Peteca
– Circo
– Judô
– Futebol
– Bicicleta
– Natação
– Ioga
– Caminhada

Acompanhe
nossas
redes sociais