Barreiras interceptam 57 quilos de lixo flutuante no Arroio do Engenho

MEIO AMBIENTE

Barreiras interceptam 57 quilos de lixo flutuante no Arroio do Engenho

Equipamento ecológico foi instalado pela Prefeitura de Lajeado em março de 2022

Por

Barreiras interceptam 57 quilos de lixo flutuante no Arroio do Engenho
Foto: Divulgação / Prefeitura de Lajeado
Lajeado
Gustavo Adolfo 2 - Lateral vertical - Final vertical

Desde que foram instaladas, em março de 2022, as barreiras ecológicas do Arroio do Engenho, próximo ao Parque Ney Santos Arruda, já interceptaram mais de 57 quilos de resíduos flutuantes que teriam como destino o Rio Taquari. As barreiras foram instaladas pela Prefeitura de Lajeado, por meio da Secretaria do Meio Ambiente, Saneamento e Sustentabilidade (Sema), e a ação integra o projeto Nosso Engenho, desenvolvido para revitalizar o arroio.

De março a dezembro de 2022, as ecobarreiras impediram a passagem de 55 quilos de materiais. Somente no mês de janeiro, já foram recolhidos 2,5 quilos. O peso pode parecer baixo, mas como se trata de material flutuante, que chega à barreira trazido pelo movimento da água, significa um volume grande, e a retirada tem impacto positivo para a melhoria da qualidade do rio. O dispositivo impede a passagem de materiais como garrafas pets, plásticos em geral e isopores, entre outros. Os profissionais que fazem a manutenção do mecanismo, porém, já retiraram farol de veículo, lâmpadas e frascos de remédio da água.

“Quando chove mais, a tendência é de recolhermos mais materiais. Neste período de seca, estamos tendo um registro menor de resíduos. Quando chove um volume maior, acaba descendo mais lixo junto com a água do arroio”, explica a química industrial da Sema, Gabriela Roehrs, que coordena o projeto.

As ecobarreiras foram produzidas pela 1ª turma de Guardiões Ambientais Mirins, formada por estudantes. Elas aprenderam sobre a poluição aquática e suas consequências, ainda durante o ano de 2021. A instalação foi realizada próxima à ponte do novo Parque Ney Santos Arruda. Conforme Gabriela, a cada semana é retirado de um a três quilos de resíduos, variando a quantidade de acordo com o volume de chuva registrada nesse intervalo de tempo.

As ecobarreiras possuem dispositivos de segurança que soltam as barreiras quando o nível do arroio sobe. Nos meses de maio e junho, ocorreram enchentes no município, e as ecobarreiras não estavam em pleno funcionamento. Gabriela esclarece que em agosto elas foram reposicionadas e, desde então, estão operando normalmente. As ecobarreiras foram feitas com galões azuis, reaproveitados e doados pela empresa Bebidas Fruki, e usam cordas navais trançadas e tela nylon.

Projeto Nosso Engenho

O projeto Nosso Engenho foi desenvolvido com o intuito de revitalizar o Arroio do Engenho por meio de ações que visam o restabelecimento da qualidade das águas, conservação e recuperação das áreas sem canalização e, posteriormente, abertura dos trechos tamponados.

Exemplos pelo país

O projeto foi inspirado nas ecobarreiras do Arroio Dilúvio, de Porto Alegre, e do rio Atuba, em Curitiba. Na capital gaúcha, o dispositivo foi instalado em 2016 e, até outubro de 2022, já havia impedido que cerca de mil toneladas de resíduos, entre garrafas pet, embalagens e até eletrodomésticos, chegassem às águas do Guaíba.

Projeto Guardiões Ambientais Mirins

O projeto Guardiões Ambientais Mirins (GAM), organizado pela Sema, por meio do Centro de Educação Ambiental (CEA), em parceria com a Secretaria da Educação (Sed), recebe inscrições de estudantes até o dia 3 de março. O projeto de educação ambiental é destinado a estudantes de 10 a 12 anos matriculados nas escolas de Lajeado (redes municipal, estadual e particular). As inscrições devem ser feitas presencialmente no Centro de Educação Ambiental. Clique aqui para mais informações.

Acompanhe
nossas
redes sociais