Os secretários do Vale

Opinião

Rodrigo Martini

Rodrigo Martini

Jornalista

Coluna aborda os bastidores da política regional e discussão de temas polêmicos

Os secretários do Vale

Por

Gustavo Adolfo 2 - Lateral vertical - Final vertical

O governador Eduardo Leite (PSDB) surpreendeu de forma positiva e engrandeceu ainda mais o Vale do Taquari. Ao confirmar três secretários ligados à nossa região, o tucano devolve força para um espaço geográfico sem representatividade no parlamento gaúcho. Ou seja, se fomos incompetentes ao articular candidaturas à assembleia, não faltou competência por parte dos articulistas políticos que garantiram a permanência (e promoção) de Marjorie Kauffmann, Rafael Mallmann e Simone Stülp (foto).

Aliás, poderíamos ter celebrado a sequência de Mauro Hauschild na Justiça. Mas o (agora) ex-secretário foi traído por um provável fogo amigo. Mesmo assim, o Vale tem tudo para crescer muito nos próximos quatro anos com o auxílio do trio. Desde que se confirmem as nossas expectativas junto aos três nomes escolhidos por Leite, é claro.

Crédito: Gustavo Mansur/ Palácio Piratini


Crédito: Divulgação

Na posse de Lula

Vereador em Lajeado, e possível candidato a prefeito em 2024, Sérgio Kniphoff (PT) esteve presente na posse do presidente Lula, em Brasília (foto). Ele foi acompanhado da esposa e ex-secretária de Planejamento de Lajeado, Marta Peixoto. Na capital federal, o casal acompanhou as festividades em frente ao Palácio do Planalto e reforçou a ligação com o PT.

Aliás, Kniphoff foi um dos poucos petistas da região em atividade no setor público que se manteve fiel à sigla em tempos de Lava Jato, impeachment e afins. Outros tantos se esconderam e só reapareceram nesse fim de semana.


Um sonho de 30 dias

Crédito: Divulgação

Márcia Scherer (MDB) está em Brasília desde sábado para viver um sonho. Um sonho breve é bem verdade. Mas é um sonho que se tornou realidade.

A ex-delegada assume como deputada federal por apenas 30 dias. É uma recompensa para a terceira suplente de uma cadeira legislativa resguardada ao partido, que lutou por protagonismo contra agentes do seu próprio partido, e que aguardou pacientemente pelo seu principal momento na política.

E isso prova que o Vale do Taquari, com um pouquinho mais de esforço coletivo, pode garantir um lugar de titular no congresso. Basta querer e acreditar.


E o teleférico?

Em entrevista ao programa Frente e Verso, o prefeito de Cruzeiro do Sul, João Dullius (MDB), garantiu: uma nova reunião entre agentes públicos e privados deve ocorrer nos próximos dias para tratar da instalação (ou não) de um teleférico entre a cidade e a vizinha (via Rio Taquari) Estrela.

Ainda de acordo com Dullius, o prefeito estrelense, Elmar Schneider, será peça fundamental na busca pelas condições ideais ao ousado empreendimento.


No fim, ninguém golpeou a democracia

Jair Bolsonaro deixou o país sem incitar “golpes”, e encerrou de vez com as narrativas, devaneios e factoides desferidos a esmo por quem não aceitou perder o pleito em 2018. Aliás, o fato de não entregar a faixa presidencial para um agente público condenado por corrupção (não só em primeira instância), mesmo que novamente eleito de forma democrática, é um ato compreensível. E se você não concorda com isso, tá tudo certo. Afinal, “cadum, cadum”.


TIRO CURTO

• O Pro_Move Lajeado divulgou os 15 projetos selecionados no edital Acelera 2.0. Entre os temas, destaque para a introdução da educação financeira nas escolas públicas municipais, além de um olhar atento à tecnologia no dia a dia do cidadão. Agora, e a partir de um minucioso trabalho de mentoria, serão selecionadas as três melhores propostas.

• O governo de Teutônia lançou uma campanha para conscientizar a população sobre a necessidade de economizar água, em especial nos períodos de verão e possíveis estiagem. Aliás, muitos governos municipais têm falhado e muito ao desprezarem tais ações básicas de conscientização. E não falo só da economia de água. Isso vale para outras tantas mazelas.

• Um fato curioso em Cruzeiro do Sul. Após a remarcação de áreas urbanas e rurais da cidade, o governo municipal decidiu encerrar com as chamadas “vilas”, que passam a ser chamadas de “bairros”. Difícil será convencer a população a adotar os novos nomes.

• De fato, é curioso. Em cidades menores, é muito comum o uso de “vilas”, “linhas” ou “picadas” para identificar comunidades interioranas.

• O ex-prefeito de Taquari e ex-presidente da Famurs, Maneco (PT) está bem cotado para assumir um cargo de confiança na Secretaria de Comunicação (Secom) do governo federal, ministério que será chefiado pelo parlamentar gaúcho Paulo Pimenta.

• Ainda sobre cargos, a deputada federal Márcia Scherer (MDB) pode assumir um cargo no governo estadual de Eduardo Leite (PSDB). A partir de fevereiro, é claro.

• Em tempo, que belo teatro a valiosa (e custosa) equipe de marketing do novo presidente armou durante o evento de posse. Teve até um cachorro que, segundo os sentimentalistas exacerbados, fez “vigília” para Lula durante o cárcere dele em Curitiba. Sim, caro leitor. Um cachorro fez vigília para Lula. E o nome dele, vejam, é “Resistência”. Haja paciência…

• Nesta primeira coluna de 2023, eu preciso compartilhar a frase de Thomas Sowell: “Quando as pessoas desejam o impossível, somente os mentirosos podem satisfazê-las”.

Acompanhe
nossas
redes sociais