Cerca de 70% dos óbitos por afogamento acontecem em rios e arroios

ENTREVISTA

Cerca de 70% dos óbitos por afogamento acontecem em rios e arroios

Comandante do Corpo de Bombeiros de Lajeado, o capitão Thalys Stobbe, aborda os cuidados que os banhistas precisam ter

Por

Cerca de 70% dos óbitos por afogamento acontecem em rios e arroios
Comandante do Corpo de Bombeiros de Lajeado, o capitão Thalys Stobbe (Foto: Rodrigo Gallas)
Gustavo Adolfo 2 - Lateral vertical - Final vertical

Cerca de 70% dos óbitos por afogamento no Brasil acontecem em águas internas, como rios, arroios e lagoas. “E o Vale do Taquari tem muito disso. Regiões como a nossa estão mais vulneráveis a afogamentos estatisticamente do que regiões de praia”, diz o comandante do Corpo de Bombeiros de Lajeado, o capitão Thalys Stobbe. O mar representa 15% do total de afogamentos no país.

Por haver barragens nos mananciais do Vale, o risco é aumentado. Outro fator que eleva o perigo são as encostas rochosas, características do Arroio Forqueta em Marques de Souza e Arroio do Meio. Há casos que as pessoas caem nas pedras, ficam inconscientes e se afogam.

Conforme Stobbe, os indivíduos que sabem nadar são justamente as vítimas mais frequentes por se colocarem em situações perigo. Para o bombeiro, as recomendações mais importantes a fim de evitar afogamentos são: não dar pontas em rios, não entrar na água sozinho e não ingerir álcool quando for adentrar em balneários.

Assista a entrevista na íntegra

Acompanhe
nossas
redes sociais