Estado abre licitação para obra na Carlos Fett Filho

ESCOLA SEM BANHEIRO

Estado abre licitação para obra na Carlos Fett Filho

Colégio no bairro Moinhos aguarda ampliação faz mais de uma década. Investimento previsto em novo complexo supera os R$ 3 milhões

Por

Estado abre licitação para obra na Carlos Fett Filho
Fett Filho atende cerca de 170 alunos e uma lista de espera que dobraria o número de matrículas. Crédito: Filipe Faleiro
Lajeado
Gustavo Adolfo 2 - Lateral vertical - Final vertical

A novela quanto a construção do novo prédio da Escola Estadual de Ensino Fundamental Carlos Fett Filho parece próxima do fim. O Executivo gaúcho lançou nesta semana a licitação à obra. O prédio atual não tem banheiro, cozinha e refeitório. Pelo projeto do Estado, o complexo de mil metros quadrados resolve o problema e também garante o aumento na oferta de matrículas.

O orçamento previsto supera os R$ 3 milhões. O resultado da licitação está previsto para o início de 2023. Com a concorrência homologada, a construção poderia começar no segundo trimestre do próximo ano.

Hoje a escola tem pouco mais de 170 alunos matriculados. Por outro lado, há uma lista de espera crescente por vagas. A obra é esperada há mais de uma década. Inclusive foi uma das escolas da comunidade regional na Consulta Popular. O prédio antigo da escola foi demolido em 2014. Desde então, os alunos usam banheiro, refeitório e as servidoras a cozinha em espaço alugado no Centro de Tradições Gaúchas (CTG), Raízes do Sul. Também há uma sala de aula dentro do CTG.

Pressão da comunidade

Moradores, ex-alunos e pais de estudantes da Fett Filho iniciaram uma mobilização ainda no ano passado. Reuniões, encontros com autoridades do município e do Estado, bem como protestos, com cartazes colados em ruas da cidade, expunham as condições da escola.

Em junho deste ano, como resposta à governo de Lajeado e o Executivo gaúcho formaram uma parceria para acelerar o trâmite burocrático à licitação. O Departamento de Projetos de Lajeado se responsabilizou pela planilha de custos.

Conforme o engenheiro e vereador, Isidoro Fornari Neto (Progressistas), houve um engajamento de diferentes agentes públicos para tornar a obra prioritária dentro da Secretaria Estadual de Obras Públicas.

Em abril, comunidade escolar iniciou protestos nas ruas de Lajeado. Crédito: Marcel Lovato/Arquivo A Hora

“Quero ver esse prédio em pé”

Ex-aluno da Fett Filho e um dos líderes da mobilização que cobra melhorias na Fett Filho, o comerciante Cândido Roberto dos Santos, 43, comemora a abertura da licitação.

Também convoca empresas da região para a concorrência. “Quero ver esse prédio em pé. Nos mobilizamos e com apoio de muitos, conseguimos avançar. Agora precisamos de interessados em assumir a obra.”

Para ele, a escola é uma referência para o bairro. “No passado, a Cohab era renegada. Hoje cresceu muito e se desenvolveu. Temos moradores que trabalham nas indústrias, no comércio, e que precisam de um lugar próximo para os filhos estudarem.” O comerciante destaca: “por hora, temos de concreto a licitação. Sabemos disso. Não vamos parar até a obra terminar.”

Acompanhe
nossas
redes sociais