Municípios temem perder R$ 105,6 mi em três anos

Opinião

Felipe Neitzke

Felipe Neitzke

Coluna aborda os destaques relacionados ao agronegócio

Municípios temem perder R$ 105,6 mi em três anos

Por

Gustavo Adolfo 2 - Lateral vertical - Final vertical

Se a produção integrada já sofre com os elevados custos, lei federal pode impactar ainda mais as agroindústrias, a arrecadação dos municípios e a renda das famílias. O debate em torno da dedução de impostos na entrada e saída de aves e suínos nas propriedades busca agora conscientizar políticos para reverter o cenário.

Embora a lei tenha sido promulgada na década de 90, até então os estados não aplicavam os critérios. A nova proposta apresentada pelo deputado federal Alceu Moreira (MDB/RS) busca justamente deixar da forma como está, a tributação apenas na saída dos produtos.

Pela estimativa da Federação das Associações de Municípios do Rio Grande do Sul (Famurs), caso nada seja feito, as cidades do Vale do Taquari podem perder R$ 105,6 milhões em ICMS nos próximos três anos. A mobilização  agora vai ao encontro de buscar apoio na Assembleia e no Congresso em defesa desse setor tão importante para a região.

Representantes das indústrias integradoras também se mobilizam e pressionam gestores públicos para evitar um cenário ainda mais crítico na cadeia produtiva de carnes. Agroindústrias da região, inclusive, pedem socorro diante do desempenho negativo nos últimos anos.

Queda de ICMS projetada

2023 – R$ 18,5 milhões

2024 – R$ 36,3 milhões

2025 – R$ 50,8 milhões

divulgação


Indignação no setor do tabaco

A Federação dos Trabalhadores na Agricultura no Rio Grande do Sul (Fetag-RS) critica o posicionamento de deputados estaduais no debate sobre classificação e venda do tabaco. A entidade considera que mais de 70 mil famílias são ignoradas e somente os interesses das indústrias prevalecem.

A federação entende ser injusta a relação comercial estabelecida onde o produtor precisa arcar com os custos da devolução do tabaco caso o preço oferecido pela empresa não seja justo. Nesse sentido, a Fetag critica os frequentes adiamentos de votação do projeto, considerado fundamental para o equilíbrio na venda do fumo.


Retomada do programa de habitação rural

Representantes do setor da agricultura familiar participam de audiências com a equipe de transição do governo federal. Entre as reivindicações estão a retomada do programa de habitação rural. Levantamento dos Sindicatos dos Trabalhadores Rurais (STRs) aponta para demanda de pelo menos 5 mil moradias no RS. Conforme divulgado pela Cooperativa Habitacional da Agricultura Familiar (Coohaf), o cenário é otimista e há expectativa em retomar o projeto nos primeiros 100 dias do futuro governo.


Languiru prepara início das operações no porto

Crédito: Aldo Lopes

O presidente da Languiru, Dirceu Bayer, entregou esta semana convite aos secretários estaduais Domingos Velho Lopes (Agricultura) e Marjorie Kauffmann (Meio Ambiente) para o ato do início das operações no Porto de Estrela. A cooperativa anunciou no mês passado a compra de área com silos para armazenamento e secagem de grãos.

O local com capacidade de 60 mil toneladas passa por reformas e deve ficar pronto até 16 de dezembro, quando ocorre a solenidade de inauguração.

O investimento visa atender o incremento de produção de milho e soja no Vale, além de reforçar estoques para a nutrição animal do sistema integrado de aves e suínos.

Bayer tem reiterado que diante do desempenho abaixo do esperado nos segmentos das carnes e lácteos, todos os demais aportes estão suspensos pelo menos por seis meses, isso inclui a instalação de fábrica de queijos que estava projetada ainda para este ano.

Acompanhe
nossas
redes sociais