Estado prorroga votação da Consulta Popular após reclamações

NOVO PRAZO

Estado prorroga votação da Consulta Popular após reclamações

Eleitores tiveram problemas com o aplicativo Colab. Na região, baixa adesão de pessoas preocupa o Codevat. Vale receberá R$ 1,5 milhão para dividir entre os dois projetos mais votados

Por

Estado prorroga votação da Consulta Popular após reclamações
Votação pode ser feita pela internet, tanto pelo site quanto pelo aplicativo ou Whatsapp. Crédito: Mateus Souza
Estado
Gustavo Adolfo 1 - Lateral vertical - Final vertical

Com baixa adesão em diversas regiões e relatos de problemas com o uso do aplicativo Colab, a votação da Consulta Popular 2022 foi prorrogada. A definição das prioridades para o orçamento de 2023 do estado terá 30 de novembro como data limite.

A cédula do Vale do Taquari, neste ano, conta com projetos voltados às áreas de inovação, ciência e tecnologia, meio ambiente e agricultura. As duas mais votadas serão contempladas com recursos do governo do RS.

Até o fechamento desta edição, ainda não havia uma parcial oficial da votação na região, que iniciou no dia 14 deste mês. Conforme o presidente do Conselho de Desenvolvimento do Vale do Taquari (Codevat), Luciano Moresco, dados extraoficiais apontam que pouco menos de mil votos foram computados.

Para a região, serão destinados R$ 1,5 milhão por meio da Consulta Popular. O recurso será dividido entre as iniciativas campeãs de votos. Ou seja, cada uma receberá R$ 785,7 mil. Contudo, os projetos contemplados com recursos não podem ser da mesma área. “Se as duas propostas da agricultura forem as mais votadas, a segunda será descartada e entra a seguinte”, comenta Moresco.

Dos quatro projetos que constam na cédula, três serão executados regionalmente, caso sejam escolhidos. Já a proposta que visa a implantação de cisternas para armazenamento de água terá amplitude municipal. Nesse caso, o valor será dividido entre os 12 municípios da região com maior número de votos. Também devem alcançar participação de, no mínimo, 2% dos eleitores.

Recurso extra

Além do montante previsto para os projetos mais votados, a região pode ser contemplada com uma verba extra que varia de R$ 1 milhão – ao Corede que ficar em primeiro lugar – a R$ 500 mil – do segundo ao nono lugar -. Será considerada a proporcionalidade de votos em relação ao número de eleitores de cada região.

A baixa participação do eleitor regional, contudo, frustra os planos do Codevat. “Se houvesse engajamento maior dos municípios, com certeza teríamos chance e o valor destinado ao Vale passaria de R$ 2 milhões”, admite Moresco. A votação é feita pelo site da Consulta Popular, aplicativo Colab e, neste ano, também ganhou a opção pelo WhatsApp.

Para Moresco, é preciso aperfeiçoar o modelo de participação. “O próprio Colab impõe alguma dificuldade. O pedido de prorrogação foi deferido muito em função desses problemas. Nós não podemos solicitar participação da sociedade e colocar ao alcance dela ferramentas que atrapalham e não deslancham”, pontua.

Os projetos

• Desenvolver projeto regional que transforme dejetos suínos e outros dejetos de origem animal ou industrial, de um passivo ambiental a um ativo econômico, gerando energia a partir deles;

• Aplicação de técnicas de engenharia natural e de restauração ecológica em áreas degradadas nas margens do rio Taquari e seus afluentes (Bacia Hidrográfica do Rio Taquari);

• Fortalecer a cadeia produtiva de hortigranjeiros, com qualificação dos produtores e técnicos, organização da cadeia produtiva, fortalecimento da produção de alimentos orgânicos e para o programa nacional de alimentação escolar;

• Implantação de cisternas de geomembrana PEAD para armazenamento de água para usos múltiplos.

Acompanhe
nossas
redes sociais