Surto de escabiose preocupa comunidade escolar em Fazenda Vilanova

sarna humana

Surto de escabiose preocupa comunidade escolar em Fazenda Vilanova

Casos identificados colocam em risco o atendimento na creche. Orientações são para aumento no cuidado com a limpeza e higiene nos ambientes

Por

Surto de escabiose preocupa comunidade escolar em Fazenda Vilanova
Imagem ilustrativa
Fazenda Vilanova

Um surto de escabiose, também chamada de sarna humana, colocou em alerta funcionários e pais de alunos da Escola Municipal de Ensino Infantil (Emei) Pequeninos da Fazenda. A direção da creche emitiu um comunicado aos responsáveis, onde solicitou atenção e indicou a possibilidade de fechamento em caso de maior propagação.

Na nota, a instituição afirma que redobrou os cuidados com a limpeza e higiene de todos os espaços e devolveu as roupas de cama utilizadas na escola, para higienização. A secretária da Saúde do município, Vanderlea Machado da Silva, explica que o contágio se dá pelo contato direto. “O ácaro não fica no ar”, comenta. Ela esclarece ainda que não há maiores agravos à saúde.

A secretária garante que o tratamento é ofertado pela Farmácia Básica da cidade. “É um tratamento curto, sem maiores complicações”, acrescenta. A orientação é que, em caso de sintomas, os moradores procurem a Unidade Básica de Saúde (UBS), e aumentar os cuidados para não transmitir a outras pessoas.

Em contato com a Secretaria da Educação, Vanderlea orientou que, em caso de constatação de sintomas, os familiares devem ser contatados imediatamente. “Pedimos a colaboração das pessoas. Tivemos mais de uma dezena de casos nos últimos dias e esperamos que tenhamos eliminado isso”, finaliza.

“Pensei que fosse algo normal”

Mãe de um aluno de dois anos, Greice Cabral relata que imaginava que o incômodo era algo comum. “Vi que ele estava com duas, três bolinhas nas costas, mas nada demais. Pensei que fosse algo normal”, conta. Ela recebeu o contato da escola, que confirmou o contágio do filho e de outros alunos. “Tive outra colega de trabalho, que o filho dela também pegou”, completa.

O atendimento médico receitou duas loções e um xarope para o tratamento, além de indicar sete dias de afastamento das atividades escolares. Nos casos da doença, também é orientado lavar todas as roupas, forros de cama e toalhas com água quente e solução clorada, em conjunto com o uso dos medicamentos.

Ouça reportagem na Rádio A Hora

Acompanhe
nossas
redes sociais