Escolas de Encantado e de Lajeado dividem melhor Ideb do Vale

DESTAQUE NA EDUCAÇÃO

Escolas de Encantado e de Lajeado dividem melhor Ideb do Vale

Nos anos iniciais do Fundamental, colégio Farrapos e Universitário alcançaram média 7,6. Do total de 145 instituições na região, 105 foram avaliadas na edição 2021. Entre as redes de ensino municipais, destaque positivo vai para Nova Bréscia e a pior nota ficou com Paverama

Por

Escolas de Encantado e de Lajeado dividem melhor Ideb do Vale
Escola municipal Universitário atende do 1º ao 9º ano do Ensino Fundamental. São 256 alunos matriculados. Crédito: Felipe Neitzke
Vale do Taquari

Pelo Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb) do Ensino Fundamental (anos iniciais), a análise do Ministério da Educação (MEC) e do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais (Inep), as escolas Farrapos (Encantado, rede estadual) e Universitário (Lajeado, rede municipal) tiveram os melhores resultados individuais na edição de 2021.

Ambas alcançaram a pontuação de 7,6. “Estamos muito felizes com esse resultado, até por que estamos saindo de um período de pandemia e conseguimos manter a qualidade das aulas”, conta a diretora da escola Universitário, Adriana Azevedo Oliveira. De acordo com ela, apesar do período de distanciamento, tanto os professores quanto os pais dos alunos se dispuseram em manter aulas remotas. “Temos como diferencial o engajamento da comunidade escolar e dos nossos docentes. Com a família presente, conseguimos manter resultados positivos.”

O Ideb é feito a partir dos resultados sobre taxas de evasão escolar, aprovação e testes de proficiência. Para os anos iniciais, com faixa etária dos 6 aos 11 anos, o exame apura elementos da alfabetização. “São estudantes com maior necessidade de contato. Mesmo assim, conseguimos manter, ainda que de maneira remota, aqueles períodos direto com os professores. Eles podiam tirar dúvidas e mantiveram algum nível de aprendizado”, avalia a diretora.

Para ela, outro aspecto relevante trata-se do perfil da escola, em termos de condições socioeconômicas das famílias. “Todos tinham internet, computador, celular, para participar das aulas remotas. Também pais e mães que se propuseram a acompanhar naqueles horários”, destaca. A escola municipal Universitário atende do 1º ao 9º ano do Ensino Fundamental. São 256 alunos matriculados. Em termos de equipe, contando professores, secretaria e estagiários, são 33 servidores.

O Ideb varia de 0 a 10. O índice é um condutor de política pública à educação, como uma ferramenta para acompanhamento das metas de qualidade. A meta para 2022 é alcançar média 6. A Secretaria de Educação do RS destaca melhorias nos índices em relação a 2019. Nos anos finais do Ensino Fundamental, a nota foi de 4,4 para 5. No ranking nacional, o Estado alcançou a 5ª colocação.

Nos anos iniciais do Ensino Fundamental, o avanço foi de uma posição, passando da 11ª à 10ª colocação no ranking entre as 27 unidades do país. A nota, que era de 5,8, subiu para 5,9, acima da média nacional, que é 5,8. No Ensino Médio, um avanço mínimo, de 0,1. Com o total de 4,1 de Ideb, o RS ocupa a 7ª posição entre as redes estaduais do país.

Esforço coletivo

Escola da rede estadual, a Farrapos também conseguiu manter aulas remotas para alunos dos primeiros anos do Fundamental. Inclusive começaram as atividades antes mesmo da reorganização promovida pelo Executivo Gaúcho. “A rede pública municipal é muito grande. Então era natural um pouco mais de dificuldade para conseguir organizar o formato das aulas”, frisa a vice-diretora Caren Cristina Krämer Goulart.

Por esforço da equipe diretiva, dos professores e dos país, foi possível antecipar as aulas. “Pedimos ajuda para a Univates e conseguimos usar as aulas por vídeo na plataforma da instituição.” Como se trata de uma escola com público heterogêneo, também houve um esforço coletivo para disponibilizar aparelhos celulares e acesso a internet.

“Nós, da direção, promovemos uma reunião para avaliar o Ideb. Ficamos muito felizes pelo resultado. Parabenizamos os alunos e os professores. Eles tiveram uma grande parcela de contribuição”, ressalta. A escola Farrapos atende do Ensino Infantil (atendimento municipalizado) até o 9º ano do Fundamental (responsabilidade do Estado). São quase 300 anos com 35 servidores, entre professores, funcionários e direção.

Habilidades à vida

Para a vice-diretora Caren, os dados do Ideb são importantes por mostrar um apanhado geral sobre a qualidade da educação. Por outro lado, não podem ser vistos de maneira isolada. “Existem habilidades que não aparecem nas notas. Acima dos resultados está o ensino, de como essa criança se desenvolve e como vai encontrar seu papel na sociedade.”

De acordo com ela, o olhar do professor é fundamental. “Só com o contato próximo conseguimos perceber o que precisamos fazer, o que precisamos trabalhar. Aqui na escola, buscamos projetos específicos quando percebemos alguma carência”, frisa. A partir disso, neste ano foi implementado o Soletrando. “Vimos que o ensino remoto estava trazendo problemas de ortografia.”

Redes municipais

Quando o recorte do Ideb recaí sobre as redes municipais, a maioria da região teve médias acima do Estado (5,9 pontos) e do país (5,8 pontos). Do total de 38 cidades, 28 tiveram notas avaliadas pelo MEC.

O principal destaque é Nova Bréscia, com índice de 6,8. Em seguida estão Mato Leitão, Westfália (6,7) e Colinas (6,6) Cinco ficaram abaixo da pontuação nacional (confira o ranking ao lado).

O pior resultado foi de Paverama, com 4,8 pontos. Para o secretário da Educação, Flávio Jung, as aulas remotas foram o principal fator no déficit de aprendizagem na faixa etária que compreende os anos iniciais. Em 2021, do total de 810 alunos da rede municipal, mais de 400 estavam neste nível de ensino.

De acordo com ele, no fim de 2021, o governo percebeu essa lacuna e buscou contratar mais professores. “Apesar das aulas de reforço, infelizmente ainda não conseguimos melhorar os resultados.”

Além disso, o quadro de servidores na educação foi afetado pela saída de profissionais aprovados em concursos em outros municípios. Para tentar melhorar os resultados, o município intensificou aulas de reforço, em especial de português e matemática.

Ranking do Ideb por municípios da região

Acompanhe
nossas
redes sociais