“Ainda há pessoas que compartilham o amor”

Abre Aspas

“Ainda há pessoas que compartilham o amor”

A solenidade de formatura sempre é um momento especial. Para o técnico em Publicidade, Leonardo Luís Fassini Barili, 18, de Imigrante, a cerimônia reservou emoção ainda maior. Ele recebeu o diploma das mãos da avó, a diretora do Centro de Educação Profissional da Univates, Edi Fassini, que não conteve as lágrimas. O vídeo viralizou e já alcançou mais de 3 milhões de visualizações e milhares de compartilhamentos.

Por

“Ainda há pessoas que compartilham o amor”
Crédito: Mais Produtora/Divulgação
Gustavo Adolfo 1 - Lateral vertical - Final vertical

Por que você escolheu curso de Técnico em Publicidade?

Em 2018, iniciei juntamente com o ensino médio, o Técnico em Manutenção e Suporte em Informática, pois desde pequeno me interessava em computadores. Mas acabei não me encontrando. E como sempre fui muito de postar coisas no Instagram, criar e editar vídeos para o Youtube, e me apresentaram esse curso, que antes se chamava Comunicação Visual. Foi amor à primeira vista. A cada nova cadeira que eu fazia, cada pessoa nova que interagia, só aumentava a paixão pelo curso.

Como foi a sua reação em receber o diploma das mãos justamente da sua avó? E de ver a reação dela?

Escolhi uma música em homenagem ao meu pai e entrei dançando, como se estivesse na sala de casa. Assim que chego até a mesa, ouço e reconheço meus amigos gritando, felizes pela minha conquista, e sinto o público também feliz. Quando volto a olhar para a frente, dou as mãos à minha avó, e nós dois estávamos muito emocionados. Comecei a tremer, senti que ela não conseguia falar e começamos a chorar.

Olho para o lado e vejo professores e paraninfos também emocionados. Daí, percebo a importância daquele momento e o quanto ele mexeu com o coração de todos. Na Univates, sempre mantivemos relação mais “distante”, de aluno e professora, para eu ter minha própria caminhada e mostrar meu potencial. Isso fez a diferença para esse momento ser especial.

O vídeo da solenidade teve grande repercussão nas redes sociais, inclusive fora do RS. Você esperava tamanho alcance?

Sem dúvidas me surpreendi, principalmente com todo o carinho do povo que me encontra ou que comenta nas redes sociais. No mundo atual, com tantas notícias ruins sendo compartilhadas na internet, esse momento mostra que ainda há pessoas que buscam coisas boas, que compartilham o amor. Acho de extrema importância o vídeo ter viralizado, não para a minha vida, mas para a sociedade voltar a ter trocas singelas de carinho e valorizar os momentos, ao invés de gastar tempo se xingando e compartilhando ódio.

Quais lembranças você carrega da convivência com a Edi na infância?

Papel de avó é sempre muito especial. Então o amor sempre foi incondicional, carregado de muitos ensinamentos. Nunca faltou nada, nem amor, muito menos comida, pois ela é uma cozinheira de mão cheia, tanto que hoje em dia eu gosto de cozinhar muito por causa da convivência com ela. Desde pequeno sempre pedia para poder cortar a cebola, o tomate, mexer com a colher na panela, experimentar para ver se estava bem temperado, entre outras coisas.

Acompanhe
nossas
redes sociais