Um caminho de oportunidades

Opinião

Filipe Faleiro

Filipe Faleiro

Jornalista

Um caminho de oportunidades

Por

Atualizado quinta-feira,
15 de Setembro de 2022 às 13:02

Gustavo Adolfo 1 - Lateral vertical - Final vertical

A importância do professor acompanha a experiência humana. Ele é o mediador do conhecimento. Exerce um papel fundamental para construção de indivíduos pensantes, críticos e preparados para serem agentes de transformação.

O educador dissemina os princípios da vida em comunidade, na esperança de uma realidade mais equânime. Faço esse prelúdio para chamar atenção às oportunidades da vida. Todas as atividades profissionais, em absoluto, dependem dos mestres.

O momento é preocupante. Uma das profissões mais nobres tem cada vez menos interessados. Algo próximo de 2% dos alunos do Ensino Médio têm algum interesse em cursar licenciatura para entrar nessa carreira, como mostra estudo da Fundação Carlos Chagas.
Qualquer atividade humana pressupõe aprendizado. O conhecimento só tem valor se for compartilhado. Nesta contemporaneidade volátil e imersa na tecnologia, a função do professor ganha ainda mais relevância.

A missão do professor é manter a humanidade. Facilitar o desenvolvimento das aptidões individuais, nas diversas etapas da vida. Afinal, somos eternos aprendizes. A valorização dos professores começa por cada um, no apreço pelo ensino, no constante envolvimento das famílias com o aprendizado e no clamor popular por mais qualidade na educação. Para além dessa necessidade de mais presença da sociedade nos processos pedagógicos, precisamos entender, por que ser professor não é atrativo? Ainda que se desenhe um quadro de falência, impressões por vezes equivocadas, de fato há oportunidades em aberto para diferentes níveis.

No Dia do Professor, em 2019, a foto de capa doA Hora trazia a professora Gisele Bruinsma com alunas no Colégio Castelo Branco. A reportagem abordou a queda no número de estudantes no curso de Magistério (atual Curso Normal).


Univates: conceito máximo no Enade

Essa reflexão vem como pano de fundo dos resultados do Exame Nacional de Desempenho dos Estudantes (Enade). A Univates, mais uma vez, é uma das instituições destaque no Brasil.

O curso de Letras – Português e Inglês – na modalidade presencial, foi considerado pelo Ministério da Educação como o melhor entre universidades públicas e privadas.

Na edição 2021 do Enade, foram avaliados 18 cursos de graduação da Univates. Além da licenciatura em Letras, também obtiveram conceito máximo o bacharelado em Educação Física e o Superior de Tecnologia em Redes de Computadores.

A avaliação foi feita em mais de 7,9 mil cursos superiores de 30 áreas de conhecimento no Brasil. Foram quase 500 mil acadêmicos em fim de curso inscritos, dos quais 74% eram de cursos de licenciatura, 19% de bacharelado e 7% de cursos tecnológicos.

Quase 60% de excelência

No cenário nacional, 25% das graduações avaliadas ficaram em nível de excelência, com conceito 4 ou 5 no Enade. Quando se faz um recorte das avaliações na Univates, esse percentual pula para perto dos 60%.

“União de esforços”

A coordenadora dos Cursos de Licenciatura na modalidade presencial da Univates, Grasiela Kieling Bublitz conversou com a coluna sobre o resultado no Enade.

– O que representa à Univates essa referência?

Grasiela Bublitz – “É união de esforços: professores comprometidos com a qualidade de ensino e em constante atualização; alunos críticos, responsáveis e engajados e uma reitoria que incentiva e apoia as ações dos cursos.

Esse resultado também se deve a toda estrutura física e tecnológica da Univates. Letras em especial é o curso mais antigo e vem mantendo a qualidade por anos.

Estar à frente das universidades públicas e privadas é uma grande conquista e mostra o quanto a nossa universidade vem formando profissionais que se destacam.”

Divulgação

Acompanhe
nossas
redes sociais