Especialistas discutem danos e como prevenir consumo precoce de álcool

NOSSOS FILHOS

Especialistas discutem danos e como prevenir consumo precoce de álcool

Coordenadores do Programa “Vida+Viva” detalharam ações e apresentaram dados preocupantes de estudos recentes. Nova pesquisa deve ser lançada no aniversário de dez anos da iniciativa

Por

Especialistas discutem danos e como prevenir consumo precoce de álcool
Edição debateu o consumo precoce de álcool na adolescência e o trabalho de conscientização para evitá-lo. Crédito: Luisa Huber
Vale do Taquari
Gustavo Adolfo 2 - Lateral vertical - Final vertical

Criado em 2012, o programa Vida+Viva Sem Álcool (-18) prepara uma nova pesquisa sobre o comportamento de adolescentes em relação ao consumo de bebidas alcoólicas e outras substâncias. O levantamento definitivo deve ser divulgado no fim do ano, quando a iniciativa completa 10 anos de atividades. Mas, numa análise preliminar, o estudo indica dados preocupantes.

O aumento no consumo de álcool por adolescentes permeou a edição de quinta-feira, 8, de “Nossos Filhos”, programa multiplataforma do Grupo A Hora. Coordenadores geral e científico do programa Vida+Viva, o promotor de Justiça, Neidemar Fachinetto, e o farmacêutico Luis César de Castro foram os convidados e falaram sobre os desafios de lidar com o tema.

Castro não revelou números da pesquisa em andamento, mas chama a atenção para uma alta na comparação com o estudo anterior, feito entre 2017 e 2018. “Já menciono que tivemos tendências de leves aumentos. Na pesquisa passada, tivemos um salto de 50% entre os adolescentes de 12 anos”, salienta.

Na pesquisa, são ouvidos adolescentes de todas as classes sociais. E, segundo Castro, o uso do álcool nesta faixa etária é “padrão” e não há distorções. “Há pessoas de todas as escolas, sem distinção de classe social. O comportamento que se percebe é idêntico. O que muda é um objeto e outro”, salienta.

Informação e restrição

Na avaliação de Castro, a sociedade “normalizou” o uso de álcool por parte de adolescentes. E isso, segundo ele, começa nas casas, onde o filho vê o pai ou a mãe consumirem bebidas ou outras substâncias, como o cigarro. Por isso, nas suas idas às escolas, busca construir um diálogo com os alunos, em palestras mais interativas e não unilaterais, e levar a informação qualificada.

“O adolescente tem o direito de que o pai não fume ou beba diante da sua presença. E essa referência, embora algumas pesquisas dizem que não interfere, sabemos que é, sim, um fator importante e, as vezes, determinante para o uso e depois a manutenção do uso. Nós normalizamos isso, transformamos certos hábitos, como se não fossem problemas”.

Estruturação

A criação do Vida+Viva Sem Álcool passou a ser estruturada, lembra Fachinetto, no fim de 2009, quando havia uma grande mobilização pelo enfrentamento às drogas, sobretudo pela introdução do crack na sociedade. Porém, houve uma percepção de que bebidas alcoólicas eram muito mais consumidas pelo público juvenil.

“O álcool era o principal produto consumido por adolescentes. Mas não era coisa de 16, 18%. Já era 60%, três vezes mais que a soma de outras substâncias psicoativas. Aí, 2011 foi o ano da organização e, em 2012, o programa ganhou vida. Desde então, fizemos uma série de movimentos”, recorda o promotor.

Duas pesquisas foram executadas neste período. Também foram desenvolvidos seminários a cada dois anos, além da tradicional ação anual. Inicialmente era promovido um concurso cultural com as escolas da cidade. Nos últimos três anos, a organização mudou para uma mostra, sem premiações. “Já mobilizamos mais de 10 mil crianças e adolescentes”, recorda.

EIXOS DE ATUAÇÃO

– Conhecimento e informações sobre o tema;

Ampliar o conhecimento, compilar e disponibilizar o maior volume possível de informações atuais. Mas, particularmente, de caráter local;

– Boas práticas em andamento;

Prestigiar iniciativas locais que se coadunem aos princípios do programa e oferecer-lhes a maior visibilidade possível, com vistas à consolidação da proposta;

– Fiscalização.

O objetivo principal é articular e incentivar que os órgãos públicos cumpram suas atribuições, bem como adotem medidas legais pertinentes, tanto na seara administrativa, quanto civil e criminal.

Vida + Viva Sem Álcool

– Em 2012, após ampla discussão quanto ao crescente número de crianças e adolescentes envolvidas com consumo de drogas, foi formatado o Programa Vida+Viva sem álcool (-18);

– O Programa Vida+Viva tem como objetivo difundir conhecimento multidisciplinar sobre os malefícios que o álcool causa às crianças e adolescentes e incentivar as boas práticas das organizações públicas e privadas na prevenção do uso e consumo precoce;

– Diversas ações de esclarecimento e conscientização, como palestras, caminhadas, encontros e seminários foram promovidos ao longo dos últimos anos, com ênfase na difusão de uma nova cultura de intolerância ao consumo precoce.

Acompanhe
nossas
redes sociais