Mais de 30 agroindústrias do Vale participam da Expointer

AGRO

Mais de 30 agroindústrias do Vale participam da Expointer

Empreendimentos de 19 cidades da região colocam seus produtos em vitrine para milhares de visitantes. Tradicional feira do agronegócio ocorre de 27 de agosto a 4 de setembro, em Esteio

Por

Atualizado quarta-feira,
10 de Agosto de 2022 às 11:09

Mais de 30 agroindústrias do Vale participam da Expointer
Crédito: Expointer
Vale do Taquari

A 45ª Expointer reserva espaço para 337 agroindústrias, dessas, 32 são do Vale do Taquari. Com menos restrições sanitárias, houve o incremento de 123 estandes para a agricultura familiar. Os organizadores acreditam alcançar números superiores ao registrado nas edições anteriores à pandemia.

A quantidade de estandes é seis vezes maior em relação a 2020, quando 52 agroindústrias venderam no formato drive-thru da Expointer Digital. Mesmo assim, os resultados foram satisfatórios, o que se repetiu na feira do ano passado que teve 66,2 mil visitantes. Agora, a expectativa dos expositores é ainda maior.

Para estarem aptas ao evento, as agroindústrias precisaram se inscrever nas entidades representativas da agricultura familiar (Fetag/RS, Fetraf, Sindicatos de Trabalhadores Rurais ou Via Campesina). Outro critério é integrar o Programa Estadual da Agroindústria Familiar (Peaf).

De acordo com o extensionista da Emater, Alano Tonin, a região se destaca mais uma vez com o aumento na procura em expor na feira. “Acreditamos que todos os empreendimentos inscritos vão ter seus espaços confirmados. Algumas ainda precisam ajustar a documentação”, alerta.

Em paralelo, a região também conta com a representação de animais em concursos e exposições. Entre os inscritos, essa será a segunda vez do Pai de Fogo, finalista no ano passado em concurso que avalia a beleza e postura dos equinos. Ele pertence à cabanha Maufer, de Cruzeiro do Sul.

Estreia na feira

Os agricultores e proprietários da Estrelat, Roberto e Eliana de Oliveira, se preparam para estrear na Expointer. A feira é momento importante para o casal pois marca um ano de vendas do doce de leite. O produto foi lançado em 2021 durante a Estrela Multifeira.

A agroindústria que surgiu com a produção do leite tipo A amplia a oferta de produtos e trabalha para agregar valor ao trabalho na propriedade rural. O esforço a partir do doce de leite rendeu prêmio durante o 6º Concurso Estadual de Queijos, pela Associação Gaúcha de Laticinistas e Laticínios (AGL), em Carlos Barbosa.

Feito com três produtos, o doce é considerado sucesso de vendas em feiras. Durante a ExpoBento foram vendidos mais de 1,5 mil potes. “É uma receita artesanal do tempo da vovó que leva muito amor e carinho em seu processo de fabricação. Essa energia é transmitida ao consumidor e por isso esse sucesso e aceitação no mercado.”

Para dar conta do aumento de demanda, o casal que iniciou com um tacho de 50 litros investiu em nova estrutura com capacidade cinco vezes maior. Além da Expointer, também atuam na produção para a Mostra Guaporé que ocorre neste e no próximo fim de semana.

Oportunidade de negócios

Essa será a quinta participação da agroindústria Franz Alimentos, de Santa Clara do Sul. O casal Ivoni e Flávio investiu na ampliação do empreendimento para dar conta da crescente de vendas. Para esta edição a expectativa é vender mais de 4 mil pacotes de salgadinhos de batata-doce e aipim.

Além de atender supermercados da região, os proprietários do empreendimento têm a rotina voltada às feiras pelo estado. A produção mensal é estimada em 30 mil pacotes. “A Expointer é sempre um evento importante para nossa divulgação. Ali circulam pessoas de várias regiões do país e conseguimos tornar nosso produto cada vez mais conhecido”, observa Flávio Franz.

A venda não é maior por conta da limitação na capacidade produtiva. “Apenas eu e a esposa trabalhamos na atividade com a ajuda do filho. Faltam pessoas para aumentar esse ritmo de produção”, comenta.

Franz também indica problemas relacionados à produtividade no cultivo da batata-doce. A escassez de chuva entre o fim do ano passado e os primeiros meses de 2022 comprometeu a plantação. Além disso, a alta nos custos de produção pressionados pelo preço de embalagens, logística e óleo de palma comprometem a margem na produção dos salgados.

Produto premiado

Outra agroindústria do Vale com tradição na Expointer é a Cachaça Wille, de Poço das Antas. O empreendimento surgiu em 2015 por iniciativa dos primos Vilson Schneider e Tiago Flach. Eles produzem cachaças envelhecidas em barris de Carvalho, Cabriúva, Umburana e Grápia, além da tradicional Cachaça Prata.

Em 2019, venceram concurso destinado às agroindústrias participantes da Expointer. Os sócios foram surpreendidos com o reconhecimento e destacam o orgulho por terem alcançado níveis elevados de qualidade em pouco tempo. A agroindústria que leva o nome do avô conta com área de 2,5 mil metros quadrados e o espaço de plantio de cana-de-açúcar ocupa 20 hectares.


Acompanhe nossas redes sociais: WhatsApp Instagram / Facebook