Momento desafiador na criação de suínos

Opinião

Felipe Neitzke

Felipe Neitzke

Coluna aborda os destaques relacionados ao agronegócio

Momento desafiador na criação de suínos

Por

Vale do Taquari

Alta dos custos de produção, guerra na Ucrânia e maior disponibilidade do produto. Esses são alguns fatores que puxam para baixo o valor da carne suína e torna difícil a criação independente ou integrada.

O setor no Brasil vinha em uma crescente desde que a China passou a dizimar o rebanho por conta de problemas sanitários em 2019. Nesse meio tempo, também surgiu a possibilidade de ampliar em 100 mil toneladas a cota de vendas para a Rússia. Essa abertura de mercado, porém, foi frustrada com o início do conflito militar e a retomada do setor na Ásia.

DIVULGAÇÃO

Se não bastasse essa conjuntura internacional, o produtor e as empresas integradoras enfrentam a alta dos componentes da nutrição animal. O custo com soja, milho e outros insumos representa 81,58% do valor da produção. Com restrições no exterior e maior disponibilidade do produto, o preço da carne suína estagnou e hoje o criador opera com prejuízo.

Toda essa situação preocupa pelo fato de que o Vale do Taquari é a maior região produtora do RS, com 1,9 milhão de suínos abatidos em 2021. Para representantes do setor, é crucial o apoio do governo neste momento de dificuldades para evitar a desistência de produtores na atividade.


 

Como será o tempo em agosto

A semana começou com a mescla de fatores e oscilação de temperatura. Essa característica deve se manter durante o mês. Quem acreditava que havíamos superado o frio mais intenso do inverno, não é bem assim.

Os institutos de meteorologia indicam pelo menos três frentes frias com potencial de formação de geada no Vale. Há risco inclusive desse fenômeno se repetir em setembro e outubro. Em relação à chuva, a tendência é de precipitação com volumes que se mantêm na média histórica.

Crédito: Arquivo


Demanda e preço atrativo

As condições do tempo foram razoáveis à apicultura e meliponicultura, de acordo com o boletim semanal divulgado pela Emater/RS. Entre os fatores que levaram a essa classificação estão os dias de chuva, nublados e de menor luminosidade, além das temperaturas mais frias e floração escassa.

Neste período, com alguns enxames em deslocamento, apicultores investem na ampliação e no início da atividade, estimulados pela demanda e preço atrativo, que oscila na faixa de R$ 20/kg. Além do mercado interno, a região também avança com a exportação do produto.


Criadores selecionam os melhores

Encerrou na segunda-feira, 1°, o prazo para a inscrição de animais nos concursos e exposições da Expointer. A feira terá mais de 5 mil exemplares, o número supera o do ano passado, quando participaram 2,8 mil. Eles poderão ser vistos em mais de 20 pistas para julgamentos e leilões.

Entre os inscritos, essa será a segunda participação do Pai de Fogo, finalista no ano passado em concurso que avalia a beleza e postura dos equinos. Ele pertence à cabanha Maufer, de Cruzeiro do Sul. A representatividade do Vale do Taquari também se dará por meio de outras espécies de animais e as agroindústrias. A 45ª Expointer ocorre de 27 de agosto a 4 de setembro, em Esteio.


Acompanhe nossas redes sociais: WhatsApp Instagram / Facebook