De Marques de Souza para Portugal

Craques do Vale

De Marques de Souza para Portugal

Frederico Compagnoni Gross defenderá as cores do Clube Desportivo de Sobrado, da quarta divisão portuguesa

Por

De Marques de Souza para Portugal
Atleta está em Portugal, nos períodos de folga aproveita para conhecer os cartões postais como o Estádio do Dragão - Foto: Divulgação
Vale do Taquari

Portugal tem sido a porta de entrada para muitos jogadores do Vale na Europa. Everton Giovanella, Cássio Scheid e Mateus Quaresma deram os primeiros toques na bola em clubes portugueses. Tentando repetir os mesmos feitos, Frederico Compagnoni Gross, o “Fredinho”, acertou com o Clube Desportivo de Sobrado.

Natural de Marques de Souza, o lateral-esquerdo chegou no clube no fim do mês de julho. Na equipe está treinando com a equipe profissional, mas com o objetivo de pegar experiência e se adaptar para depois buscar um clube maior ou permanecer na equipe. Hoje o Clube Desportivo Sobrado disputa a quarta divisão portuguesa, última divisão amadora antes de chegar na terceira divisão.

“Espero ter uma rápida adaptação, uma boa temporada e fazer carreira aqui.”

No clube Fredinho tem a companhia de outros cinco ex-colegas de Aimoré e Jaú. “Não pensamos duas vezes para aceitar esse convite.”

Experiência na base

A última experiência no Rio Grande do Sul foi no Aimoré, onde nesta temporada jogou o Gauchão Sub-20 – Foto: Divulgação

Com 9 anos, Fredinho deixou Marques de Souza para se arriscar na base do Grêmio. Lá chegou para atuar no meio-campo, mas como era pequeno e franzino foi aos poucos sendo colocado na beirada do campo. Segundo o atleta, a decisão era para evitar contato direto com os jogadores mais fortes fisicamente. “Foi algo que veio por um acaso, mas que deu super certo e estou aqui até hoje.”

No Grêmio também fez a transição do futsal para o campo. Antes de chegar na capital, foi campeão estadual de futsal com o Rui Barbosa/Alaf.

Depois do tricolor foi terminar o infantil no Jaú, de Santo Antônio da Patrulha. A última experiência no Rio Grande do Sul foi no Aimoré, onde nesta temporada jogou o Gauchão Sub-20. “Cheguei a treinar entre os profissionais, mas não teve conversa para permanecer e fui para Portugal”.

Tratamento para crescer

Na infância, Fredinho iniciou um tratamento médico para estimular o crescimento. Durante um ano, todos os dias, fazia injeção com o medicamento, porém após esse ano, ficou inviável manter o tratamento. “Eu e minha família não conseguimos manter os altos valores.” Por mês, gastava em torno de R$ 1,5 mil.

Hoje, o lateral-esquerdo tem 1,73cm. “Com esse procedimento cheguei a crescer de cinco a sete centímetros.”