Festival de Balonismo leva mais de 10 mil pessoas ao Centro Administrativo

TEUTÔNIA

Festival de Balonismo leva mais de 10 mil pessoas ao Centro Administrativo

Multidão prestigiou atividades do primeiro fim de semana do evento, que retorna na quinta-feira. Passeios atraem visitantes de outras regiões do RS

Por

Atualizado domingo,
31 de Julho de 2022 às 22:59

Festival de Balonismo leva mais de 10 mil pessoas ao Centro Administrativo
Crédito: Prefeitura de Teutônia/Divulgação
Teutônia
Gustavo Adolfo 1 - Lateral vertical - Final vertical

O primeiro fim de semana do Festival de Balonismo de Teutônia superou as expectativas da organização. A estimativa é de 10 mil pessoas circularam pelo Centro Administrativo entre sábado e domingo. Somente o show do músico Lucas Lucco atraiu cerca de 4 mil visitantes.

Na avaliação do secretário da Juventude, Cultura, Esporte e Lazer, Luias Henrique Wermann, o sucesso de público indica que o Executivo acertou em levar o evento a Teutônia, após impasse da produtora com o município de Estrela, previsto inicialmente como sede do festival.

“É um evento que nunca tinha acontecido na região. O mais próximo do tipo é o de Venâncio Aires. Conseguimos englobar toda a microrregião, pois recebemos visitantes de diversos municípios vizinhos”, destaca Wermann, que já pensa em uma segunda edição para em 2023 e também busca trazer uma etapa do Campeonato Gaúcho de Balonismo para Teutônia.

Uma das empresas de balonismo participantes do festival era a Omega, de Torres, que levou três balões ao evento. Murilo Hoffmann, campeão do Festival Internacional de Balonismo de 2019 e campeão da prova do carro em 2022, em Torres, era um dos pilotos profissionais presentes.

 

Atração principal

Como não podia deixar de ser, os balões foram as atrações principais do Festival de Balonismo. Neste fim de semana, haviam cinco no local. Os passeios ocorreram à tarde e encantaram tanto quem viu Teutônia das alturas quanto aqueles que estavam no Centro Administrativo.

Gilmar Miguel Kleinpaul e Daniele Eliza Almi vieram de Horizontina, no noroeste do RS, para prestigiar o evento. Adquiriram ingressos ao passeio e não se arrependeram da experiência. “É a primeira vez que andamos de balão. Chegamos no sábado e não conseguimos, mas ficamos por aqui e conseguimos aproveitar. É um passeio incrível e muito leve”, descreve Daniele.

Gilmar e Daniele brindam após o passeio / Crédito: Mateus Souza

Já o agricultor João Carlos Magnante, de Soledade, preferiu ver de longe o passeio. Cuidou da netinha Cecília, de um ano, enquanto outros familiares aproveitavam o passeio. “Soubemos pela televisão e decidimos vir. A esposa que convenceu. Estou gostando de acompanhar, é uma iniciativa boa”, salienta.

Sonho de infância

Desde 2015 no ramo, Sérgio Jung, de Venâncio Aires, sonhava desde a infância em pilotar balão, após uma primeira experiência marcante. “Foi amor à primeira vista. Desde então, sempre acompanhei os festivais em Torres e decidi comprar um. Tirei a carteira e, desde então, já são mais de 680 horas de voo”, explica.

Jung abriu a própria empresa de balonismo e foi um dos pilotos presentes no festival. Chegou a fazer um passeio com 11 pessoas. “Levou 49 minutos. Duram em média de 50 minutos a uma hora”.