Univates abre mais de  50 vagas de intercâmbio

EDUCAÇÃO

Univates abre mais de 50 vagas de intercâmbio

Oportunidade é para estudar em um país estrangeiro em 2023

Por

Univates abre mais de  50 vagas de intercâmbio
Mainara fez um intercâmbio na Universidade do Porto em 2020, e diz ter sido uma experiência única. Crédito: Acervo Pessoal
Lajeado
Gustavo Adolfo 1 - Lateral vertical - Final vertical

Alunos dos cursos de graduação da Univates que sonham em estudar fora do país já podem se programar para participar do processo seletivo de mobilidade acadêmica 2023/A. São mais de 50 vagas abertas para países como Alemanha, Argentina, Bélgica e Portugal. As inscrições iniciam na segunda-feira, 1º, e vão até dia 15 de agosto, pelo site da instituição.

Para participar, o estudante deve estar matriculado em curso de graduação ou tecnologia da Univates e ter cursado, preferencialmente, de 20% a 80,99% da carga horária total do curso. Algumas vagas exigem a comprovação de proficiência na língua estrangeira.

A lista dos contemplados com as vagas será divulgada até 30 de agosto, na página de editais da universidade. Mais informações podem ser obtidas pelo número (51) 3714-7019 ou pelo e-mail [email protected]

Algumas instituições estrangeiras também oferecem bolsas de estudo durante o semestre cursado, e outras ainda contam com algum tipo de bolsa-auxílio, como recursos financeiros, moradia ou alimentação. O edital com todas as informações sobre vagas e o processo seletivo pode ser conferido na página univates.br/editais.

As vagas estão distribuídas entre instituições da Alemanha, Argentina, Bélgica, Bolívia, Canadá, Chile, Colômbia, Espanha, Estados Unidos, Finlândia, França, Inglaterra, Itália, Letônia, México, Noruega, Polônia, Portugal, Suécia, Suíça e Uruguai.

“Hoje sou uma pessoa totalmente diferente”

Mainara Poletto, 24, foi uma das intercambistas da Univates no primeiro semestre de 2020. Ela estudou na Universidade do Porto, em Portugal. “Cheguei em Portugal no início de fevereiro. As aulas já tinham começado, o que me fez ficar um pouco perdida.

Logo depois veio a pandemia. Fechou tudo, ficamos impossibilitados de sair, e posso dizer que foram vários os momentos em que pensei em voltar para casa. Mas eu não voltei, e foi a melhor escolha que fiz na minha vida”, lembra.

Ela ainda destaca que esta é uma experiência única de conhecer um pouco mais do mundo. “Viver outras culturas e se descobrir. Hoje sou uma pessoa totalmente diferente por ter feito intercâmbio”.


Acompanhe nossas redes sociais: WhatsApp Instagram / Facebook