Semana começa com calor, mas frente fria traz mínimas de 0ºC

CLIMA

Semana começa com calor, mas frente fria traz mínimas de 0ºC

Meteorologia indica máximas na faixa de 30 graus nos próximos dias. Mudança brusca de temperatura alerta para impactos à saúde e produção agrícola

Por

Semana começa com calor, mas frente fria traz mínimas de 0ºC
Lajeado registrou máxima de 30,7ºC durante o fim de semana. Calor muda cenário em parques e praças e estimula a prática de atividade física. Crédito: Felipe Neitzke
Vale do Taquari

O bloqueio atmosférico que atua sobre a região confere tardes de calor acima da média para esta época do ano e impede o ingresso de frente fria. Somente a partir de quinta-feira, 28, é que devem ocorrer mudanças nas condições do tempo. Após a chuva, tendência de redução de temperatura para marcas próximas de 0ºC.

Essa variação abrupta além de prejudicial à saúde, sobretudo ao sistema respiratório, também oferece risco à produção agrícola. Com o incremento de áreas de trigo, floração precoce de frutíferas e até mesmo a semeadura antecipada de milho, a ocorrência de geada entre agosto e setembro pode provocar perdas nas lavouras.

Embora não sejam atípicos os dias de calor durante o inverno, meteorologistas indicam para um período prolongado desse fenômeno este ano. Entre as justificativas, os impactos do aquecimento global. Essas alterações tendem a se repetir durante o verão.

De acordo com o agrometeorologista, Marcelino Hoppe, o Sul do país passa a ter as características do clima tropical. Esse padrão da área central do Brasil tem como diferencial, períodos secos mais prolongados e noites mais quentes. Mesmo assim, devem ocorrer dias de frio mais intenso e formação de geada nos próximos meses.

“A impressão é que o clima do Centro do país se expandiu. Isso de certa forma auxilia a região com maior volume de chuva durante o verão, ao mesmo tempo que vamos ter picos de calor com marcas acima de 40°C”, observa Hoppe.

Para esta semana, com a virada no tempo há ainda alerta ao risco de temporais, com vento e queda de granizo. Essa precipitação deve acontecer entre quinta e sexta-feira, e por consequência o fim de semana será de frio com máximas abaixo de 15°C.

Danos na agricultura

A valorização do trigo incentiva o aumento de área do cereal na região. Pelo segundo ano consecutivo, produtores incrementam lavouras para o cultivo de inverno como uma forma de minimizar perdas com a estiagem nas safras de milho e soja.

Agora, a semeadura atrasada pelo excesso de chuva no mês de junho pode refletir no porte da planta e risco de perdas em caso de geada tardia. “Há perda de produção quando houver a formação de gelo e temperatura negativa. Se for um fenômeno de baixa intensidade não há problema”, observa o agrometeorologista, Marcelino Hoppe.

Ainda mais sensível ao fator climático estão as frutíferas. Conforme Hoppe, a sequência de dias mais quentes fez as plantas entrarem em processo de floração.

“O sistema de defesa da planta faz ela sair do período de dormência e interpreta como se já fosse primavera. Se não houver um período de frio intenso não há problema, mas caso contrário o prejuízo é iminente.”

 

 


Acompanhe nossas redes sociais: WhatsApp Instagram / Facebook