Censo começa em agosto com déficit de agentes

IBGE

Censo começa em agosto com déficit de agentes

Das 272 vagas para recenseadores 26,4% não foram preenchidas. Processo seletivo complementar visa contratar 72 profissionais para equipe que atua na pesquisa demográfica

Por

Censo começa em agosto com déficit de agentes
Recenseadores recebem treinamento na escola Castelo Branco, em Lajeado. Coleta de dados inicia em agosto. Crédito: Felipe Neitzke
Vale do Taquari
Gustavo Adolfo 1 - Lateral vertical - Final vertical

O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) iniciou esta semana a capacitação dos agentes para o Censo 2022. O treinamento dos profissionais da região ocorre em sete polos divididos por subárea. Os recenseadores aprendem sobre conceitos da pesquisa e a aplicação dos questionários.

O início da coleta de dados está marcada para 1° de agosto. Com apenas 200 agentes de campo, novo processo seletivo complementar deve ocorrer nos próximos dias para preencher outras 72 vagas. E

sse será o terceiro recrutamento aberto pelo instituto. Entre as cidades com maior déficit, Santa Clara do Sul tem apenas um agente habilitado das sete oportunidades.
No caso de Lajeado, dos 83 profissionais requisitados pelo IBGE, 60 passaram pela seleção e iniciaram o treinamento.

De acordo com o coordenador regional do Censo Demográfico, Paulo Hamester, esse é um cenário que se repete em todo o país e em algumas regiões é ainda mais grave. “Não há impacto neste primeiro momento, mas pode vir a estender o período de aplicação dos questionários.”

Hamester observa também que a contratação temporária pode ser uma opção de complementar a renda. “O próprio recenseador faz seu horário de trabalho, pois ele recebe por produção. Entre os já selecionados há profissionais de diferentes idades, que vão desde o jovem em busca da primeira oportunidade ao idoso e aposentado.”

Os ganhos mensais podem variar de R$ 1,9 mil a R$ 2,8 mil. Uma ferramenta de simulação está disponível no site do IBGE para estimar os rendimentos. A expectativa inicial é que em três meses a coleta de dados seja concluída.

Metodologia da pesquisa

A aplicação dos questionários segue dois formatos. Os dados básicos de quem reside no imóvel e a pesquisa por amostra. A primeira leva em torno de cinco minutos para ser concluída. No caso do Censo por amostragem, apenas alguns domicílios são selecionados. Nesta etapa, o processo leva pelo menos 20 minutos.

Entre os diferenciais deste Censo para com o de 2010 está a evolução tecnológica. Os recenseadores preenchem os questionários em smartphone específico e a transmissão das informações é feita pela rede 4G. Os dispositivos também contam com GPS para o mapeamento das residências visitadas.

Diferente do Censo anterior, a conexão móvel com a internet dispensa a necessidade de posto de transmissão em cada cidade. Para quem trabalha pela primeira vez na pesquisa demográfica, a expectativa é que a tecnologia permita um trabalho ágil e em menor tempo.

“Sabemos o quanto as informações são necessárias para direcionar diferentes ações, seja na distribuição de renda ou composição de indicadores”, observa o agente censitário Mateus Julius Marmitt. Ele atua no treinamento dos recenseadores e participou da coleta de informações sobre as características urbanas.

Equipe no Vale

200 recenseadores em treinamento

72 vagas não preenchidas

30 agentes censitários

4 coordenadores de subárea


Acompanhe nossas redes sociais: WhatsApp Instagram / Facebook