Turistas retidos no Chile devem voltar nesta semana

Nevasca

Turistas retidos no Chile devem voltar nesta semana

Sem nevar nessa segunda-feira, autoridades aduanas limpam estradas e retiram os mais de 400 caminhões que ficaram pelo trajeto na fronteira do Chile e Argentina. Percurso entre Santiago e Teutônia leva cerca de 40h. Viajantes do Vale devem chegar à região no fim da semana

Por

Turistas retidos no Chile devem voltar nesta semana
Viajantes aguardam liberação do governo para pegar a estrada de volta ao Brasil. Crédito: Divulgação
Mundo
Gustavo Adolfo 1 - Lateral vertical - Final vertical

Depois de dez dias presos na fronteira entre Chile e Argentina, os 34 turistas do Vale do Taquari retidos no país vizinho por conta da nevasca na região da Cordilheira dos Andes têm previsão de voltarem para casa.

Sem neve nessa segunda-feira, os viajantes aguardam a liberação das estradas pelo governo. A expectativa é retomar a viagem entre hoje e amanhã. O grupo deve chegar ao Brasil no fim da semana.

De acordo com a Betetur Agência de Viagens e Turismo, responsável pela expedição, os turistas estão bem, e ficarão hospedados no hotel em Santiago do Chile até as estradas serem liberadas. As hospedagens são pagas pela própria empresa. A viagem entre a capital chilena e Teutônia, de onde o grupo saiu, leva cerca de 40h.

A agência afirma que a possibilidade de fazer o trajeto aéreo foi verificada. Mas o retorno será com o ônibus da Betetur.

Estradas fechadas

A passagem pelo túnel internacional Cristo Redentor, na fronteira com a Argentina, no entanto, segue fechada. A liberação é lenta, e com muitas restrições.

“Eles não querem correr o risco de acontecer outros acidentes e trancar as cordilheiras por outros motivos além da neve”, destaca uma das integrantes do grupo, a teutoniense Lia Bittencourt Mendes Kich.

Desde que a neve parou de cair, autoridades também trabalham para retirar os mais de 400 caminhões que ficaram presos no trajeto. Dois caminhoneiros do Vale do Taquari também ficaram retidos nas cordilheiras.

Um deles é Gabriel Schuck. Natural de Muçum, essa é a primeira vez que passa pelo percurso. Eles estão na estrada faz 9 dias, dormindo e se alimentando no caminhão. “Os colegas falam que situação assim só ocorreu em 2006”, comenta. O destino deles é Santiago.

Presos há dez dias

O grupo de viajantes saiu com o ônibus do Vale na noite de terça-feira, 5. Depois de passarem por Mendoza, na Argentina, se dirigiram a Santiago do Chile para ficar mais quatro dias. O plano era voltar a Mendoza antes de retornar ao Brasil.

A data de chegada no país era quinta-feira, 14. Mas a nevasca impediu a passagem e os turistas ficaram presos na Aduana Paso Internacional Los Libertadores, ainda em território chileno, próximo à fronteira com a Argentina, desde sábado, 9.

Entre os moradores de Teutônia e Estrela, há idosos e crianças, que passaram três dias dormindo no veículo. A temperatura chegou a -18ºC.

Por volta das 18h da terça-feira, 12, chegaram a Santiago do Chile. Com a ajuda do exército chileno, desceram para uma base militar no pé da Cordilheira dos Andes. O restante do percurso até Santiago, onde aguardam desde então, ocorreu no ônibus de turismo.


Acompanhe nossas redes sociais: WhatsApp Instagram / Facebook