Cascata segue com futuro indefinido

ESTRELA

Cascata segue com futuro indefinido

Área ficou sob responsabilidade da iniciativa privada por quatro anos, até julho do ano passado. Depois da retomada pelo governo municipal, intervenções foram feitas, mas nova licitação segue sem previsão de ocorrer

Por

Cascata segue com futuro indefinido
Após retomada da posse da cascata, governo instalou placas que sinalizam proibição ao banho no local. Crédito: Jhon Willian Tedeschi
Estrela
Gustavo Adolfo 1 - Lateral vertical - Final vertical

Um ano após a ruptura do contrato de concessão com a empresa responsável pela Cascata Santa Rita, o destino de um dos principais pontos turísticos da região segue incerto. Sob a gestão do município, o local recebeu mutirões de limpeza, colocação de lixeiras e placas para sinalização, mas o repasse à iniciativa privada, esperado desde então, ainda não ocorreu.

No final de 2021, o governo indicou a intenção de abrir edital para a escolha de um novo responsável pela exploração da área. No entanto, depois que um investidor entrou em contato com o Executivo para manifestar interesse pela cascata, a concorrência estagnou. O procurador do município, Rodolfo Agostini, pondera que seguem tratativas internas, mas “sem novidades por parte do jurídico”.

Entre as especificidades debatidos pela administração, estão a necessidade de separar as licitações. Existe a possibilidade de haver um edital para a área turística e outro para o desenvolvimento do local. Dos novos recursos projetados, há planos para construir uma estrutura de geração de energia, para uso das águas do Arroio Estrela, e também espaços para hospedagem.

Concessão anterior frustrada

A antiga concessionária do local teve permissão para atuar no local por mais de quatro anos. O contrato tinha validade por 10 anos e a intenção era de investir cerca de R$ 5 milhões em melhorias no local. No momento do acordo, a empresa apresentou um plano onde se comprometia a garantir exploração comercial no local, mas não cumpriu com as ações propostas.

Para manter a área atrativa, o novo permissionário deverá implementar melhorias como acessibilidade, pontos para alimentação, segurança em tempo integral, e se responsabilizar pela limpeza do entorno da cascata.

Riscos no calor

Em épocas de temperaturas mais altas, o local se torna um dos mais procurados por visitantes, ainda que acampamento e banho sejam proibidos – com placas indicativas da restrição. A falta de infraestrutura oferece riscos aos frequentadores, com a última morte ocorrida na cascata no final de 2020.


Acompanhe nossas redes sociais: WhatsApp Instagram / Facebook.