Protesto em Lajeado

Opinião

Raica Franz Weiss

Raica Franz Weiss

Protesto em Lajeado

Por

Gustavo Adolfo 1 - Lateral vertical - Final vertical

Há 20 anos

Um protesto reunia mais de cem pessoas no bairro São Bento, de Lajeado, em julho de 2002. Os moradores, em maioria agricultores, se manisfestavam contra a instalação de uma empresa de tratamento de efluentes sanitários e industriais. A principal preocupação dos envolvidos era o risco de contaminação de arroios, açudes e nascentes nas redondezas.

Crédito: Arquivo Municipal de Lajeado/O Informativo


Prédios em estilo enxaimel

Westfália elaborava um projeto para o tombamento de prédios em estilo enxaimel no município. A maioria das edificações estava localizada na Linha Frank. O projeto pretendia preservar a identidade germânica da cidade.

Crédito: Arquivo Municipal de Lajeado/O Informativo

Enquanto isso…

  • Escolarização – Saía um censo do IBGE sobre a educação brasileira. Em 2000, 71,9% das crianças com idade entre cinco e seis anos frequentavam a escola. Quase dez anos antes, em 1991, a taxa de escolarização para essa faixa etária era de 37,2%.
  • O Brasil e a Aids – A Organização das Nações Unidas elogiava os programas brasileiros de combate à Aids. Entre as políticas citadas, estava o modelo de distribuição e troca de seringas. A medida era voltada a usuários de drogas injetáveis, que registravam disparada nas contaminações pelo mundo.

Há 50 anos

Cinco décadas da Casa Born

Um evento de comemoração dos 50 anos da Casa Born ocorria em Lajeado, no dia 8 de julho de 1972. Fundada em 1922, por Julio F. Born o local era um pequeno armazém de secos e molhados.

Conforme relato da época, “hoje os três filhos, Bruno, Walter e Werner continuam a dirigir a empresa que é uma das maiores do comércio da região, com prestígio não somente no Vale do Taquari, mas também em todo o Rio Grande do Sul”.

Cinquenta anos depois, a Casa Born está abandonada e sofre com a deterioração da estrutura e da própria memória do local.

Crédito: Arquivo Municipal de Lajeado


Ampliação do Baile do Chucrute

Era noticiado, no Jornal Nova Geração, “uma forte corrente entre os organizadores do Baile do Chucrute” para transformar o evento em “Festa do Chucrute”. A ideia era que a festa continuasse até o domingo à tarde, o que possibilitaria a vinda de visitantes de outros lugares para Estrela.

Hoje, de fato, o tradicional evento promove mais do que apenas um baile. A festa ocorre em dois finais de semana e um café colonial integra a programação dos domingos.

Baile do Chucrute em 1966, em Estrela. Crédito: Acervo Airton Engster


Enquanto isso…

• Primeiros parquímetros – A cidade de São Paulo testava, no dia 8 de julho, os primeiros parquímetros do Brasil. Os equipamentos, responsáveis pelo controle do estacionamento rotativo, estavam instalados nas principais áreas comerciais da cidade.


Acompanhe nossas redes sociais: WhatsAppInstagram / Facebook