Entrando no ar

CARLOS MARTINI

Entrando no ar

Nesse espaço vamos tentar seguir o conceito de jornalismo liberal, pluralista, aberto a todos os setores da sociedade, pretendendo ouvir e dar espaço a todas as correntes de opinião que tenham peso e importância na comunidade.

Por

Atualizado segunda-feira,
11 de Julho de 2022 às 10:25

Vale do Taquari
Dreams - Lateral vertical - Final vertical

Meus caros e eventuais futuros leitores, vamos direto ao ponto. Nesse espaço vamos tentar seguir o conceito de jornalismo liberal, pluralista, aberto a todos os setores da sociedade, pretendendo ouvir e dar espaço a todas as correntes de opinião que tenham peso e importância na comunidade.

As ideias e opiniões aqui emitidas não devem jamais  ser confundidas  com o pensamento editorial do jornal. Tudo o que nesse espaço estiver escrito é de responsabilidade pessoal e intransferível de quem assina a coluna.

Existe um compromisso ético e moral de buscar a isenção e a objetividade nas matérias informativas, condições básicas para alcançar e preservar a credibilidade . Por outro lado, nas matérias opinativas o colunista segue suas convicções, sua  escala de valores, sua consciência e sua linha de pensamento ideológico.

Enfim, estamos aí, na chuva sujeito a se molhar, esperando ser apoiado ou criticado por aquilo que for escrito e também pelo que não for escrito.


TÁ LIGADO?

Em qualquer tipo de relações humanas, negócios inclusive, a palavra-chave desde tempos imemoriais é Confiabilidade. Nos tempos de antigamente era comum a expressão “no fio do bigode”, valia mais do que qualquer contrato escrito. Aliás já disse alguém que não lembro o nome agora: se o malandro soubesse o valor que tem a honestidade, deixava de ser malandro na hora.


EL TIEMPO PASA…

Crédito: Divulgação

Há exatos 20 anos o jornal A Hora surgia no cenário das comunicações de Lajeado e região.

Na época e a convite, a cada semana ao longo de um ano, colaborei assinando (ou assassinando…) com a coluna Umas & Outras. Voltamos à ativa, com muita satisfação.


SEMI-NOVOS

Na geração anterior quem chegava com boa saúde e vigor aos setenta anos era considerado quase um sobrevivente.

Hoje em dia tá cheio de “idosos” turbinados por aí. Pela lei, quem passou dos sessentinha já é considerado meio enferrujado. Enferrujada é a lei, na real são todos semi-novos.


COM A FACA E O QUEIJO NA MÃO

Quem estudou um pouco de geopolítica e geoeconomia sabe que podem ser fatores também determinantes em estratégias de desenvolvimento. Alguns aspectos são quase imutáveis, outros podem variar muito com o tempo.

Determinadas iniciativas e obras públicas e privadas podem promover fortes inflexões em certos determinismos históricos. Temos vários exemplos aqui mesmo na região, inclusive bem recentes. Não vou me surpreender se num futuro não muito distante acontecer algumas reviravoltas na realidade geoeconômica por aqui.


CLIENTES TRADICIONAIS

O Plano’s Bar teve uma idéia interessante: só contratava garçons com o nome de João.

Assim toda a clientela podia demonstrar certa informalidade com o recinto. Em vez de chamar “Garçom!”, chamava “Ô, João!”. Sem constrangimento para os novos clientes.


JÁ VI ESTE FILME…

Tão chegando as eleições e novamente se debate a necessária representatividade política da região.
Muitos bons candidatos e cada um com suas legítimas aspirações, seus respectivos apoios e objetivos partidários e ideológicos.

Nada contra, apenas sugiro que busquem também votos fora da região, e pra isso tem que contar com uma boa estrutura partidária e afinidade ideológica extrarregional.

Pra não morrer na praia…


SAIDEIRA

A aventura pode até ser meio louca, se o aventureiro for bem lúcido… Para contatos diretos: [email protected] .
O número do whats dou mais tarde, se receber algum e-mail.


Acompanhe nossas redes sociais: WhatsAppInstagram / Facebook