Comunidade reforça cobrança por estrutura básica na Escola Carlos Fett Filho

Novo protesto

Comunidade reforça cobrança por estrutura básica na Escola Carlos Fett Filho

Manifestação reúne cerca de 20 participantes neste sábado, na esquina do Posto Faleiro

Por

Atualizado segunda-feira,
02 de Abril de 2022 às 06:02

Comunidade reforça cobrança por estrutura básica na Escola Carlos Fett Filho
Crédito: Marcel Lovato
Lajeado
Gustavo Adolfo 2 - Lateral vertical - Final vertical

A comunidade do Bairro Moinhos, mais uma vez, realiza protesto neste sábado (30) em busca de uma solução definitiva para a falta de banheiros, refeitório e cozinha na Escola Estadual de Ensino Fundamental Carlos Fett Filho. A cobrança se renova em função da situação que se arrasta desde 2009 e ainda não possui prazo para ser resolvida.

Cerca de 20 moradores, alunos e antigos estudantes da instituição, equipe diretiva e simpatizantes se concentram no Posto Faleiro, esquina entre a Avenida Senador Alberto Pasqualini e Rua Júlio de Castilhos, no Centro de Lajeado. O vereador Márcio Dal Cin (PSDB) também esteve no local.  A intenção é, mais uma vez, chamar a atenção dos lajeadenses  para a falta de estrutura básica.

LEIA MAIS: Descaso com escola sem banheiro motiva protesto neste sábado

De acordo com a diretora da Carlos Fett Filho, Eloísa Franz,  a última atualização da 3° Coordenadoria Regional de Educação (3° CRE) dava conta de que o projeto de construção de um novo prédio para abrigar a estrutura foi finalizado. Contudo, aguarda recursos para poder sair do papel.  Antes considerada de  média prioridade,  a obra passou a ser considerada de alta prioridade.  Em relação aos problemas estruturais que existiam no começo de abril, houve resolução por conta do recebimento de verbas extraordinárias.

Baixa adesão

Ex-monitor da escola e um dos organizadores do movimento,  Paulo Roberto Schneider destacou a importância dos trâmites ocorrerem antes que o Plano de Prevenção e Proteção Contra Incêndio (PPCI) vença e o planejamento se arraste por mais tempo. “Ou sai logo ou a gente sabe que vai cair na rotina e nunca mais sair”, afirma.

Em relação ao protesto, que foi convocado pelas redes sociais e aplicativos de mensagens, ele lamentou a pouca adesão.  Segundo ele, seria reflexo do desânimo de boa parte da comunidade devido ao longo período em que a situação se arrasta.  Schneider pediu que candidatos a deputado estadual do Vale se comprometam com a escola.


Acompanhe nossas redes sociais: WhatsApp Instagram / Facebook.

Acompanhe
nossas
redes sociais