Laboratório de tecnologia começa a funcionar nesta segunda-feira em Encantado

INOVAÇÃO

Laboratório de tecnologia começa a funcionar nesta segunda-feira em Encantado

Contêiner chamado “Maker Space” foi instalado na Escola Érico Veríssimo. Atividades voltadas à inovação serão oferecidas aos alunos do turno inverso

Por

Laboratório de tecnologia começa a funcionar nesta segunda-feira em Encantado
Alguns alunos entraram no Space Maker e conferiram os equipamentos
Gustavo Adolfo 1 - Lateral vertical - Final vertical

Como parte do programa Cidade do Futuro, a inovação começa em sala de aula, a administração municipal inaugurou na manhã de quinta-feira, 31, o primeiro laboratório contêiner Maker Space (“espaço criador”, em inglês).

A estrutura instalada na Escola Érico Veríssimo será utilizada para as atividades do turno inverso, que iniciam na segunda-feira, dia 4. O espaço de 41 m² conta com isolamento acústico.

No local, os alunos desenvolverão atividades ligadas à inovação e tecnologia, com uso de drones, impressora 3D, robótica, sistemas de áudio e som, cinema, plataforma arduíno, tablets e notebooks, entre outras.

O investimento na aquisição da estrutura, incluindo o contêiner e os equipamentos, foi de R$ 388 mil, com recursos próprios da prefeitura. O outro contêiner está instalado no Centro Municipal de Educação.

O prefeito Jonas Calvi diz que Encantado chega aos 107 anos de emancipação, olhando para o futuro. “O contêiner Maker Space concretiza um sonho e, que só se torna realidade, pois possuímos um plano de educação para o município. Essa iniciativa foi baseada em diagnósticos realizados com os estudantes e professores”, explica.

No aniversário de 107 anos de Encantado, a comunidade pôde conhecer o primeiro laboratório de tecnologia instalado no município

Calvi lembra que a administração identificou 27 demandas a serem melhoradas na área, definindo dez como prioridade. “Dessa forma vamos conseguir avançar com o Centro de Tecnologia e Inovação. Vamos sair do turno inverso que é um pouco mais artístico e implantar a robótica. Vamos dar condição para estes alunos e minimizar a demanda que temos na região, que é a falta de mão de obra qualificada”, pontua.

A secretária de Educação, Stéfanie Casagrande, destacou que o plano elaborado pela secretaria é desafiador, entretanto, busca mudar a história da educação do município.

“As dez ações são apenas o começo do que queremos fazer, e o Maker Space é a primeira delas. A gente precisa ter profissionais diferenciados, mas o que estamos fazendo na educação para mudar isso? Este é o primeiro passo”, conclui.

Já a diretora da escola, Josi Moretto, observa que a aptidão predominante hoje em sala de aula é a motora. Neste sentido, as atividades que serão oferecidas envolvendo a tecnologia vão agregar nas habilidades dos alunos.

“Vamos poder proporcionar a eles uma vivência diferente e, quem sabe, descobrir aqui um cientista ou um campeão de robótica”, finaliza.


Acompanhe nossas redes sociais: Instagram / Facebook.