Vereadores de Estrela aprovam projeto que cria 28 cargos na prefeitura

política

Vereadores de Estrela aprovam projeto que cria 28 cargos na prefeitura

Nova configuração impacta em R$ 128,2 mil o custo mensal do Executivo em folha de pagamento. Outra mudança deixa cinco diretores com a mesma remuneração que secretários municipais

Por

Vereadores de Estrela aprovam projeto que cria 28 cargos na prefeitura
Vereadores aprovam projeto que cria 28 cargos na prefeitura
Gustavo Adolfo 2 - Lateral vertical - Final vertical

Aumento de salários, novos cargos no Executivo e um plenário lotado. Assim começou o 2022 na Câmara de Vereadores de Estrela. Em sessão extraordinária nesta segunda-feira (17), o Legislativo aprovou 19 projetos encaminhados pela Administração Municipal. O mais polêmico autoriza alterações no quadro de cargos em comissão e funções gratificadas de confiança do Executivo.

A matéria foi aprovada com 10 votos favoráveis. Foram contrários João Braun (PP) e Volnei Zancanaro (PSL). Serão criados 28 cargos na gestão de Elmar Schneider. As mudanças geram um gasto de mais 128,2 mil mensais aos cofres públicos. 

Um dos projetos aprovados cria a classificação “CC8”, com salário-base de R$ 9,7 mil por mês. Serão cinco direções neste patamar: governo, meio ambiente, licitação e comunicação, além do procurador municipal, que subirá de padrão. Nível máximo atual, os servidores considerados CC7 seguem com vencimentos de R$ 5,4 mil.

O vereador Braun argumenta que o momento não é adequado para aumento de despesas em função da pandemia e da estiagem. Segundo o integrante dos Progressistas o custo anual com o novo formato do quadro de servidores é de R$ 2,3 milhões se forem considerados os salários e encargos. “O grande problema é que acaba se reduzindo a capacidade de investimentos. Quantos quilômetros de asfalto se faria ou quantas obras poderiam ser realizadas”, questionou. 

Apesar de integrar a mesma bancada de Braun, o vereador Márcio Mallmann (PP) fez o discurso mais inflamado em favor da aprovação. Mallmann apontou que é preciso oferecer condições para o prefeito desenvolver o seu plano de gestão. “Eu vejo que este prefeito é melhor na articulação política. Antes de julgar que um vereador não presta por votar favorável a este projeto tinha que ter um conhecimento todo”, avalia.

A sessão transcorreu em clima tenso, com manifestações de algumas pessoas que acompanham a reunião. A Brigada Militar (BM) ficou em frente a sede da câmara. 

Correção salarial e aumento no vale-alimentação

Foi aprovado ainda o reajuste nos vencimentos do funcionalismo em 10,96%. O valor tem como base a variação do Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC). A correção impacta no pagamento aos servidores municipais, do legislativo e de prefeito, vice, secretários e vereadores. O vale-alimentação dos servidores do Executivo e do Legislativo também sofrerão reajustes. O valor por dia do benefício chegará a R$ 25 e totalizará R$ 550 ao mês. A Câmara volta a ter sessões ordinárias no dia 07 de fevereiro.


Acompanhe nossas redes sociais: Instagram / Facebook.