Comércio aos domingos

Opinião

Rodrigo Martini

Rodrigo Martini

Jornalista

Coluna aborda os bastidores da política regional e discussão de temas polêmicos

Comércio aos domingos

Por

Atualizado quarta-feira,
01 de Dezembro de 2021 às 09:08

Lajeado
Gustavo Adolfo 1 - Lateral vertical - Final vertical

A matéria que devolve autonomia aos comerciantes para abrirem ou não os próprios estabelecimentos (com funcionários) foi aprovada no plenário da Câmara de Lajeado. Mas, a decisão esteve longe de ser pacífica. Segundo vereadores, houve constrangimento por parte de alguns empresários junto aos seus empregados. Em suma, e de acordo com alguns parlamentares, os patrões teriam impedido (direta ou indiretamente) os funcionários de participarem da sessão plenária de ontem, logo após o Sindicomerciários convocá-los para a derradeira sessão plenária.

No plenário, uma surpresa. De forma inusitada, todos os comerciários que se deslocaram à Câmara de Vereadores “foram convidados” a assinar uma lista de presença, com nome e CPF. A justificativa era “respeitar o limite de público presente, em função das restrições da pandemia”. Uma falácia. Com tal medida, e assim eu suponho, os comerciantes poderão saber com exatidão quem foi e quem não foi no protesto. É algo inusitado, reforço. Uma repressão velada. E cujo objetivo está longe de ser algo que faz parte da boa e necessária democracia. Em suma, pegou mal. Muito mal.

Por fim, o projeto foi aprovado, e muitos parlamentares aproveitaram para reforçar a base eleitoral e retomar o protagonismo. A partir de agora, haverá mais liberdade para os pequenos, médios e grandes comércios lajeadenses. É assim na imensa maioria dos municípios do Vale do Taquari, do Estado e do país. É assim do outro lado do Rio Taquari, também. Aliás, em Lajeado já é assim com frentistas, funcionários de farmácias e supermercados, médicos e, inclusive, comerciários do shopping. Desde que respeitados todos os direitos trabalhistas, é claro. E vida que segue!


O fim da outorga (ou não)

Eduardo Leite esperou o fim das prévias presidenciais do PSDB para anunciar o que já deveria ter sido anunciado há muito tempo. O fim da outorga no edital de concessão das rodovias estaduais é uma vitória das associações, federações e demais entidades políticas e empresariais que lutaram, bravamente, contra a inexplicável tentativa do executivo estadual. Porém, a decisão tardia ainda divide a opinião de líderes regionais, diante da projeção de um “fundo dos pedágios”, ou “depósito antecipado”. E um deles encaminha esta conclusão: “faz que muda para não mudar”.


Leite, pão, vinho e HBB

O governador Eduardo Leite (PSDB) deve comparecer ao evento de início das obras da nova UTI Pediátrica do Hospital Bruno Born (HBB). A solenidade ocorre amanhã. O espaço terá 10 leitos e poderá atender pacientes em estado grave de 29 dias a 13 anos, e deve entrar em funcionamento em até oito meses. O chefe do executivo estadual também foi convidado para prestigiar o lançamento da Rota do Pão e Vinho, às 16h, em Roca Sales.


Semáforos em Lajeado

O governo lajeadense suspendeu o pregão presencial agendado para amanhã, cuja finalidade era o registro de preço para aquisição (sob demanda) de “equipamentos semafóricos e materiais afins, visando suprir as necessidades de manutenção dos equipamentos instalados em vias do município”. A administração atendeu a uma impugnação apresentada pela empresa Dataprom Equipamentos e Serviços de Informática Industrial, com sede em Curitiba. Ela questiona o “caráter competitivo”. O contrato está orçado em mais de R$ 850 mil e já havia sido transferido anteriormente.

A concorrência também prevê “mão de obra, equipamentos, ferramentas, utensílios, insumos, transporte e demais despesas necessárias à execução do objeto, encargos fiscais, sociais, comerciais, trabalhistas e previdenciários, seguros de responsabilidade civil que cubram danos pessoais e materiais a terceiros e ao município, e ainda, o seguro do pessoal utilizado, contra riscos de acidente de trabalho e o cumprimento de todas as obrigações que a legislação fiscal, trabalhista e previdenciária impõe ao empregador, sem qualquer ônus ou solidariedade por parte do município”.


• Os discursos de alguns vereadores de Lajeado na sessão de ontem, que deliberou sobre o comércio aos domingos, tinham uma só preocupação: o pleito de 2024. Simples assim.

• Para alguns vereadores, contrários à abertura, o comerciante lajeadense, que lutou para manter empregos na pandemia, é um vilão, escravagista, explorador e destruidor de lares.

• Lorival Silveira (PP) foi um show à parte. Contrário à mudança, e como forma de protesto, ele jogou o Regimento Interno no chão. Logo após, estava sorrindo e tranquilo.

• A população de Teutônia cobra uma solução para o mau cheiro causado por uma empresa instalada no bairro Canabarro. Desta vez, a cobrança recai sobre os vereadores.

• Até o fim da tarde de ontem, o Hospital Bruno Born (HBB) registrava um paciente internado com suspeita de covid na Unidade de Tratamento Intensivo (UTI). Ele é natural de Lajeado e possui entre 30 e 39 anos.

• A eleição da nova diretoria do Sindicato da Indústria da Construção Civil do Vale do Taquari (Sinduscon/VT) ocorreu no início da noite de ontem. Com a decisão, José Zagonel (que segue como Delegado da FIERGS) entregou o bastão de presidente para Jairo Valandro, que terá o empresário Daniel Bergesch como o novo vice-presidente.

• O governo de Estrela abriu edital de licitação para a compra de três novos veículos para a Secretaria de Educação. O custo estimado é de R$ 573 mil.