Cultura para afastar a juventude do álcool

Mudança de hábitos

Cultura para afastar a juventude do álcool

Iniciativa em nível regional instiga crianças e adolescentes a trabalharem a prevenção ao consumo de álcool. Trabalhos selecionados receberam financiamento de R$ 500

Por

Cultura para afastar a juventude do álcool
Alunos de oito instituições apresentaram seus trabalhos nessa quinta-feira (Foto: Jhon Willian Tedeschi)
Vale do Taquari
Gustavo Adolfo 2 - Lateral vertical - Final vertical

Afastar os jovens do contato com o álcool e criar novos hábitos entre eles. Este é o objetivo do programa Vida+Viva Sem Álcool, que teve nessa quinta-feira, 25, o segundo e último dia de apresentações dos trabalhos da 6ª Mostra Cultural do projeto.

As categorias que subiram ao palco do auditório 11 da Univates foram dança e música, de oito escolas e instituições de Lajeado e Progresso. Na semana passada, outras cinco atividades de vídeo e teatro aprovadas pela organização se apresentaram. Cada projeto escolhido recebeu ajuda de custo de R$ 500 para viabilizar o desenvolvimento e custear as iniciativas.

Para o coordenador do programa, promotor Neidemar Fachinetto, os trabalhos tem o intuito principal de mudar uma cultura existente, em relação ao consumo de álcool. “Infelizmente nós normalizamos o consumo como um rito de passagem, ou como algo natural no ambiente familiar e social”, afirma.

O Vida+Viva também propõe uma reflexão sobre a forma de instruir os jovens quanto à facilidade de acesso e consumo de álcool e outras drogas. Na temática das apresentações artísticas, a prevenção é o tópico principal, com as crianças e adolescentes sendo os protagonistas. Para Fachinetto, dessa forma eles dizem uns aos outros o que é bom e o que é ruim.

Trabalhos de maior qualidade

Na edição 2021 do projeto, foi feita uma capacitação para 100 alunos e professores, dos quais 80 terminaram certificados. “Eles estão qualificados para atuar como multiplicadores, o que aumenta a qualidade técnica dos trabalhos”, pontua o coordenador.

Este curso envolveu profissionais da Univates, que ofereceram aulas nas áreas que participaram da Mostra Cultural. Na avaliação da equipe, o aprofundamento no conteúdo enriqueceu ainda mais as apresentações. “Isso é um aprendizado desse ano”, diz Fachinetto.

Números preocupam

O programa promove uma pesquisa a cada cinco anos para verificar a situação do consumo de álcool por menores de idade. Na última, em 2017, cerca de 70% dos participantes disseram consumir bebidas alcoólicas pelo menos uma vez por ano. Fachinetto destaca que o projeto tem a meta de apresentar os dados científicos e provocar a discussão na comunidade. A próxima pesquisa é preparada para o ano que vem.