Diárias em Encantado

Opinião

Rodrigo Martini

Rodrigo Martini

Jornalista

Coluna aborda os bastidores da política regional e discussão de temas polêmicos

Diárias em Encantado

Por

Vale do Taquari
Gustavo Adolfo 2 - Lateral vertical - Final vertical

O Ministério Público de Encantado instaurou um procedimento para averiguar o uso de diárias por parte dos vereadores. Conforme noticiado pelo Grupo A Hora, o legislativo encantadense gastou R$ 120 mil com diárias e passagens aéreas entre janeiro e novembro deste ano. No mesmo período, as câmaras de Lajeado, Estrela, Taquari, Arroio do Meio e Teutônia gastaram, juntas, pouco mais de R$ 121 mil. A discrepância nos gastos e a falta de controle efetivo sobre o benefício chamam a atenção.

Em suma, a promotora Daniela Pires Schwab vai apurar as denúncias de supostas irregularidades, principalmente após a viagem de três vereadores e da Chefe de Gabinete para a capital federal. O fato ocorreu no início do mês, quando eles viajaram para participar de um curso. Entre os fatos verificados, os valores das passagens aéreas entre Porto Alegre e Brasília. Andressa Cristina de Souza, Valdecir Gonzatti (MDB) e Carlos Silva (MDB) pagaram (com recursos do contribuinte, claro) R$ 4,5 mil. Já a passagem da servidora Michele Boaro custou R$ 4,9 mil aos cofres do município.

Na sessão plenária, Andresa se manifestou sobre a polêmica foto realizada no restaurante Coco Bambu, com a imagem de quatro espumantes. Segundo ela, nenhum dos agentes públicos consumiu as bebidas. A vereadora pediu desculpas em nome da Chefe de Gabinete, e tratou o fato como sendo uma infelicidade por parte da servidora. Da mesma forma, Andresa afirmou que o jantar foi uma cortesia do presidente da UVB, Gilson Conzatti. Ou seja, os três vereadores e a funcionária da câmara não gastaram com jantar naquele dia.
A versão apresentada pela vereadora e presidente do legislativo encantadense é confirmada por Conzatti.

Entretanto, a escusa de Andresa retroalimenta o ponto máximo da questão: o modelo de diárias em Encantado. Hoje, conforme a regra daquele plenário, cada vereador recebe R$ 944 por dia em Brasília, sem a necessidade de devolver valores não gastos. E o ruído é fácil de ser percebido. Afinal, se a vereadora não gastou com jantar, naquele dia, quanto ela efetivamente gastou na capital federal? E quanto deveria retornar (e não retorna) para os cofres do município?

É hora de mudar.


Trem dos Vales

No sábado, o presidente da Assembleia Legislativa do RS participou do passeio do Trem dos Vales, entre Muçum e Guaporé. O deputado Gabriel Souza (MDB) veio com a família ao Vale do Taquari, e também participou de um encontro do partido, em Roca Sales. Na agenda, a campanha para 2022.


Comércio aos domingos

Nos bastidores, conforme apurado pela reportagem do A Hora, o governo de Lajeado já teria conquistado aqueles oito votos necessários para a aprovação do PL que devolve autonomia aos comerciantes para abrir (ou não) o comércio aos domingos. O oitavo e decisivo voto seria do vereador Ederson Spohr (MDB), que recentemente elogiou a movimentação econômica gerada pelas Lojas Havan aos domingos. Entretanto, a matéria segue “engavetada” e o debate permanece restrito aos corredores e gabinetes do legislativo. A expectativa, agora, é pela votação na próxima semana.


Orla do Taquari

A nova orla do Rio Taquari está ganhando novas e belas formas em Lajeado. Por outro lado, o vereador Carlos Ranzi (MDB) apresenta um problema que precisa ser verificado o quanto antes pelo poder público. Na mesma margem do rio, logo após a ponte sobre o Arroio Saraquá, no bairro Conservas, a situação é bem diferente do Porto dos Bruder. A imagem fala por si. O desmoronamento de um trecho da margem está muito próximo das residências, e alguns contribuintes perderam boa parte do terreno. Além do risco iminente, eles ainda estariam, segundo o vereador, pagando IPTU sobre uma área já levada pelas águas do Taquari.


• A incorporação do prédio do INSS pelo governo de Lajeado está cada vez mais próxima. O imóvel será repassado ao Hospital Bruno Born, que auxiliará na construção de uma nova sede à entidade federal. À primeira vista, um bom negócio para todos.
• Amanhã os representantes do Laboratório de Inovação Governamental e Social do Município de Lajeado (Labilá) estarão reunidos com agentes do TecnoPuc. Em pauta, aplicativos para agendamento de consultas nos postos de saúde do município.
• Hoje, representantes estaduais do Sesi visitam Lajeado para verificar a possibilidade de expansão dos serviços para a área de tecnologia. O modelo inspirador está em Montenegro.
• No domingo, o governo de Santa Clara do Sul lança a rota de cicloturismo. A saída será às 9h no Parque Multiesportivo Odilo Klein, com trajetos de 3,6 km, de 12 km, 33km e 52 km.
• Na Câmara de Lajeado, o vereador Marcio Dal Cin (PSDB) pediu desligamento da Comissão Especial que tratava sobre o novo regimento interno. A justificativa é de “ordem particular”. Na segunda-feira, ele teve um leve desentendimento com o vereador Alex Schmitt (PP).
• No 2º EmpreInove, realizado ontem, no Clube Tiro e Caça, Daniel Santoro, sócio fundador e conselheiro da Santoro & Partners, da Casco Blindagens Especiais e da Casco Motors by Piccoly, foi taxativo: a preocupação com a sustentabilidade não pode ser tratada como uma “moda” pelas empresas. A pauta veio para ficar.