“As mandalas ocupam um espaço terapêutico na minha vida”

Abre aspas

“As mandalas ocupam um espaço terapêutico na minha vida”

A artista Luana Rohr, 30, começou a ministrar uma oficina gratuita de confecção de mandalas na Casa de Cultura de Lajeado. Moradora de Arroio do Meio, passou a conhecer mais sobre esta forma de arte em 2017, depois do nascimento de uma de suas filhas.

Por

Atualizado quarta-feira,
24 de Novembro de 2021 às 12:45

“As mandalas ocupam um espaço terapêutico na minha vida”
(Foto: Arquivo Pessoal)
Lajeado
Gustavo Adolfo 2 - Lateral vertical - Final vertical

Quando e como você começou neste meio artístico das mandalas?
Minha jornada com as mandalas iniciou durante o puerpério da minha filha Maya, em 2017. Comecei a fazer mandalas e logo percebi os benefícios dessa arte de expressão que é milenar. Desde então não parei.

Antes disso, você já tinha alguma experiência com outra forma de arte?
Essa é uma pergunta interessante e a resposta é sim! Sempre estive conectada com a arte E na verdade todos estamos. Mesmo quem não perceba, está. A arte está em tudo e a vida é a própria experiência em forma de arte.

E por que você optou pelas mandalas? Tem algum motivo?
Nunca parei para pensar nisso. Na verdade, não teve nenhum motivo específico. Mas talvez o fato de eu já ter uma mandala em casa, de contemplar ela, passar por ela, isso me inspirava, trazia boas sensações. Talvez isso me influenciou de alguma maneira, mesmo que inconscientemente.

Qual o significado de uma mandala?
Mandala é um portal energético que nos leva ao centro de nós mesmos ou de algum objetivo. Ela é um meio de comunicação entre o ser humano e o cosmos. E o seu significado pode mudar conforme suas cores e formas e até mesmo cultura. Elas servem para despertar nosso potencial criativo, poder pessoal, sair de zonas de conforto. Também auxilia na meditação, na concentração. São muitos os benefícios.

Quais os significados das cores?
Sim. Já dizia o artista Wassily Kandinsky: “Toda forma, toda cor, significa um sentimento: não existe nada no mundo que não diga nada.” A cor não é uma propriedade física, ela é pura percepção e elas têm vibrações energéticas que produzem mudanças químicas no organismo. Na cromoterapia, por exemplo, elas são usadas para cuidar tanto a saúde física, quanto a mental. Nas mandalas, uso bastante a cor azul que tem muitos benefícios terapêuticos. No corpo físico, ela é indicada para qualquer tipo de dor pois ela provoca um relaxamento corporal. Já os benefícios no campo mental, ela proporciona paz, serenidade, aquieta a mente, auxilia no equilíbrio emocional, desperta a gratidão.

E os formatos também significam algo?
Existem diferentes formatos de mandalas, mas o que sempre irá se manter nelas é o padrão encontrado na imagem que se repete, formando assim uma geometria, um fluxo entre assimetria e simetria, que quando observado provoca o crescimento e a evolução. Se observarmos a natureza, poderemos perceber que a geometria está presente em tudo. E contemplar uma mandala nos provoca uma bela reflexão enquanto navegamos nos desafios da vida buscando equilíbrio e harmonia.

Hoje, o que significa trabalhar com a produção de mandalas? Qual o papel disso pra ti?
Primeiro que as mandalas ocupam um espaço terapêutico na minha vida e poder estar a serviço com elas é sentir que estou vivendo meu propósito nessa vida. É fantástico pelo retorno, principalmente os benefícios que as pessoas compartilham depois de algum tempo. Então além delas serem benéficas para mim, elas estão beneficiando outras pessoas e espaços para além daquilo que vemos.