Bolsonaro no Vale

Opinião

Rodrigo Martini

Rodrigo Martini

Jornalista

Coluna aborda os bastidores da política regional e discussão de temas polêmicos

Bolsonaro no Vale

Por

Vale do Taquari
Gustavo Adolfo 1 - Lateral vertical - Final vertical

O presidente Jair Bolsonaro está com um pé no PP. Ele já integrou o partido em anos anteriores, e a possibilidade real deste aguardado retorno vai mexer com as peças do tabuleiro. Em Brasília, a novidade pode atrair mais de 30 deputados, enfraquecendo e possivelmente ultrapassando o novo partido, União Brasil, uma fusão do PSL com o DEM. No Estado, a mudança pode beneficiar o pré-candidato ao Piratini, o senador Luis Carlos Heinze (PP). E quais serão os reflexos no Vale do Taquari?

A provável ida de Bolsonaro ao PP já é debatida entre correligionários locais. Na principal cidade do Vale do Taquari, por exemplo, o prefeito Marcelo Caumo é filiado ao partido, mas não garante, por ora, apoio ao atual presidente. “Entendo que o apoio para todos os candidatos deve se dar pelos projetos, e não simplesmente pela sigla partidária”, afirma. Mesmo assim, ele considera positiva a quase iminente mudança. “Entendo que seria importante para o PP ter Bolsonaro como filiado”, atesta o gestor municipal.

Para muitos, a participação de Bolsonaro no pleito de 2022 ainda é uma incógnita. As pesquisas estão à esquerda e apontam para a vitória de Lula. Por outro lado, e isso talvez tenha ainda mais relevância, as manifestações populares (e democráticas) apontam para a direita. O medidor só deverá funcionar, mesmo, a partir das campanhas efetivas de ambos os candidatos, e só após a definição da tão falada 3ª via (nem Esquerda e nem Direita). Aliás, o fator “Eduardo Leite” deve ser o outro balizador da política (e do PP) regional.

B.O. no Porto dos Bruder

A obra de ampliação do passeio no Porto dos Bruder, às margens do Rio Taquari, em Lajeado, virou caso policial. Faz alguns dias, um assessor parlamentar da Câmara filmava a movimentação de cargas de rochas quando, segundo ele, teria sido agredido por um diretor da empresa terceirizada. O assessor afirma ter recebido denúncias sobre carregamentos com “meia carga”. O caso foi levado à Delegacia. E o fato novo é: o mesmo diretor também registrou um Boletim de Ocorrência contra o assessor por suposta agressão.

Comércio aos domingos

A impressão entre vereadores e assessores de Lajeado é positiva para quem apoia o PL que extingue a proibição do comércio aos domingos. Nos próximos dias, e com apoio de parte da oposição, o Executivo deve garantir êxito nesta milonga.

Uma polêmica medieval

O cancelamento da Feira Medieval de Estrela repercute nos bastidores do governo. Afinal, a justificativa de que o evento foi cancelado para evitar aglomerações decorrentes de eventuais caravanas de outras cidades não foi bem ensaiada.

Tiro curto

  • O Laboratório de Inovação Governamental e Social do Município de Lajeado (Labilá) será inscrito no programa estadual “Avançar na Inovação”. O município busca R$ 1 milhão;
  • O governo de Encantado iniciou na semana passada as aulas de Língua Portuguesa para imigrantes haitianos. As atividades são realizadas duas vezes por semana para 20 alunos;
  • Membros do Sinduscom/VT foram até o gabinete do prefeito de Lajeado cobrar agilidade na aprovação dos projetos de construção civil. Mas, a queixa não é unânime;
  • Em Estrela, um projeto de lei prevê o parcelamento em até 60 vezes de um débito de R$ 1,7 milhão devido ao Fundo Previdenciário do município;
  • Em Arroio do Meio, o secretário de Obras, Darci Hergessel (PDT), está em rota de colisão com alguns membros do alto escalão do governo municipal;
  • O governo de Lajeado estimou para essa segunda-feira o lançamento do edital para obras de ampliação da ERS-130, próximo ao trevo da BRF. Entretanto, atrasou;
  • Na sexta-feira, das 19h às 22h, no Estrela Palace Hotel, ocorre encontro estadual do MDB com líderes dos vales do Taquari, Rio Pardo e região de Soledade. Correligionários, deputados federais e estaduais são aguardados no evento.