Na simplicidade, a bondade de compartilhar

Opinião

Bibiana Faleiro

Bibiana Faleiro

Jornalista

Na simplicidade, a bondade de compartilhar

Por

CRON - Lateral vertical - Final vertical

Esta semana, conheci a Shay. Moradora do bairro Santo Antônio, ela nunca teve coisas materiais de sobra. Mas sempre sobrou amor e apoio dentro e fora de casa. Voluntários com mais condições financeiras, outros com menos, mas todos dispostos a ajudar o sonho de Shay de se tornar modelo.

Nessas andanças, reparei, mais uma vez, em algo que já vinha me fazendo pensar há tempo. Muitas vezes, quem menos tem, mais tem a oferecer. Curioso, né? Não sei se pela empatia de ver o próximo em uma situação semelhante a sua, ou por outro motivo qualquer.

Elas estão mais preocupadas com a saúde e em ter comida para servir na mesa, do que em ter mais de dois pares de calçados no armário. E, se os tem, não se importam de doar um deles a alguém que precisa mais.

Na casa dessas pessoas, há sempre lugar para mais um na hora do jantar. Não há fartura de alimentos, mas se dividir direitinho, todos saem da mesa satisfeitos. Elas gostam de compartilhar e fazem questão de estar com a casa cheia, mesmo que o espaço não seja tão grande assim.

Elas também passam por dificuldades e, tantas vezes, recebem ajuda do próximo. Talvez busquem uma forma de retribuir. Talvez a humildade as transforma em seres humanos, de fato, mais humanos. De qualquer forma, essa bondade é inspiradora.

O que também inspira é a forma com que, mesmo em um país de desigualdades, com tantas pessoas sem teto, de negligências e, muitas vezes, descaso social, elas encontram, todos os dias, motivos para continuar ali, sorrindo e abrindo as portas de suas casas para quem precisar entrar.

Boa leitura!