“Esse trabalho gera renda para os catadores e promove a destinação correta dos resíduos”

ENTREVISTA

“Esse trabalho gera renda para os catadores e promove a destinação correta dos resíduos”

Lajeado promove o cadastramento de trabalhadores da coleta seletiva. Objetivo é profissionalizar o serviço prestado

Por

“Esse trabalho gera renda para os catadores e promove a destinação correta dos resíduos”
Lajeado
Gustavo Adolfo 1 - Lateral vertical - Final vertical

Conhecer a realidade dos trabalhadores da coleta seletiva para promover ações de incentivo e profissionalização deste serviço. Este é o objetivo do serviço de cadastramento de catadores organizado pela prefeitura de Lajeado. O assunto foi abordado na entrevista com a coordenadora do Centro de Educação Ambiental do município, Edith Ester Zago de Mello, no programa Frente e Verso da Rádio A Hora 102.9 na manhã desta quinta-feira, 05.

Hoje, o município não sabe quantas pessoas atuam no processo de coleta seletiva. A estimativa inicial é cadastrar 30 catadores na primeira etapa. Porém o município acredita que o número seja muito maior.

O cadastramento deve trazer benefícios para toda a comunidade. “A população vai saber quem são, o que cada um coleta e assim poder entregar os resíduos diretamente para os catadores. Vamos saber por onde circulam e os horários. Esse trabalho gera renda para os catadores e promove a destinação correta dos resíduos”.

Busca ativa pelos catadores

A falta de informação pode se tornar um empecilho no cadastramento dos catadores. Nas duas primeiras semanas, a secretaria chama os catadores e espera que eles busquem o cadastramento por iniciativa própria.

Porém, nos próximos dias, o grupo de trabalho deve começar uma busca ativa para chegar até os catadores. “Se ficarmos só aguardando, não vamos conseguir cadastrar todos. E precisamos disso para primeiro entender a realidade e depois propor ações e políticas públicas a respeito do serviço que ainda é pouco regulamentado na cidade”.

Índice de reciclagem

Em Lajeado, a porcentagem de material que é reciclado segue a média nacional, que é baixo. Em 2020, foram 3%. Este valor representa os resíduos reciclados no aterro sanitário, onde o município tem o controle e pode fazer a análise e pesquisa dos itens.

Destino dos resíduos recolhidos pelos catadores

Edith explica que a maioria dos materiais recolhidos pelos catadores são comercializados com empresas da região especializadas na área. Estas, vendem para empresas maiores do país, onde é feito o descarte correto e reutilização.

“Mesmo assim faltam empresas que façam o processo de reciclagem. Que é muitas vezes um processo complexo. Ainda precisamos chegar lá”.

Confira a entrevista na íntegra: