Um novo embate

opinião

Rodrigo Martini

Rodrigo Martini

Jornalista

Coluna aborda os bastidores da política regional e discussão de temas polêmicos

Um novo embate

Por

Vale do Taquari
Tudo na Hora - Lateral vertical - Final vertical

O Governo do Rio Grande do Sul ventila uma nova reforma tributária e gera calafrios em diversos setores e entidades empresariais. O amplo debate gerado em 2020, que enxugou a proposta original e resultou em quatro planos diferentes entre junho e dezembro, foi desgastante para todos: Executivo, Legislativo e sociedade civil. Pois bem. Seis meses após a aprovação daquela verdadeira colcha de retalhos, e o debate volta à mesa de líderes regionais.

A Associação Comercial e Industrial de Lajeado (Acil) já se posicionou contra qualquer aumento de impostos. Em nota, a centenária entidade teme uma eventual penalização dos principais segmentos produtivos, e alerta para uma possível nova proposta de majoração do ICMS. Conforme divulgado, uma das medidas que devem ser anunciadas pelo Estado é a revisão de isenções e o escalonamento de impostos, como forma de mitigar a queda de receita, estimada em R$ 2,6 bilhões anuais.

“Não podemos aceitar mais um ato de espoliação tributária. O Governo do Estado quer buscar recursos no setor produtivo cada vez mais aviltado. Segundo o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), o RS foi o 2º estado da federação que mais perdeu empregos em 2020 (20.220 postos). No mesmo período, Santa Catarina gerou mais 53.050 empregos. Tais indicadores mostram que os setores produtivos e a sociedade não suportam maior taxação”, cita a entidade.

A Câmara de Indústria e Comércio do Vale do Taquari (CIC/VT), o braço da Federasul na região e uma das entidades que mais combateu as propostas apresentadas em 2020, também deve se manifestar oficialmente em breve. Em suma, o governador Eduardo Leite não vai encontrar solo fértil para implantar, na íntegra, as suas ideias reformistas. A briga tende a ser intensa. E a Acil resume os anseios da sociedade. “A proposta da reforma deve ser para reduzir os impostos.”

O Cristo é de todos!

Um dos principais atores da Associação Amigos do Cristo Protetor, o empresário Rafael Fontana apresenta dados surpreendentes sobre as visitações guiadas. Foram mais de 1,5 mil turistas só no último fim de semana de visitações. E, desde o dia oito de maio, o número total supera a marca de seis mil turistas, vindos de 246 cidades de nove estados brasileiros, além de visitantes da Alemanha, Argentina, Peru, Venezuela, México e Bolívia. E pasmem. A estátua ainda não está pronta!

(Foto: Mateus Souza)

Paciência dos pacientes

A Câmara de Vereadores, a Secretaria da Saúde de Lajeado (Sesa) informa o número de pessoas que ainda aguardam exames. São 250 pacientes aguardando por Mamografia; 563 para Tomografia; 724 para Ressonância; e 1.823 para Ecografia. Com relação às cirurgias eletivas, a Sesa informa que a decisão de realizar ou não o procedimento cirúrgico “cabe ao médico especialista, sendo que tal decisão é informada somente aos hospitais onde o procedimento deverá ser realizado”.

Túnel interbairros

O vereador Jones Vavá (MDB) pede ao Executivo a “reconstrução da escadaria de acesso ao túnel que liga os bairros São Cristóvão e Santo André”. Aliás, o governo municipal deveria valorizar mais essa importante passagem sob a ERS-130. Ao menos, divulgá-la melhor!

Segue em pauta!

A Câmara de Encantado ainda não apreciou os projetos de lei que instituem o novo Código de Edificações do Município e as diretrizes para Parcelamento do Solo. Ambas as matérias permanecem “em pauta” no plenário encantadense.

Limpeza da Arena

A torcida do Clube Esportivo Lajeadense é o grande patrimônio do único clube de futebol profissional do Vale do Taquari. E não é por menos. Mais uma vez, os torcedores devem se reunir neste domingo para um mutirão de limpeza na Arena Alviazul, visando a estreia do clube nas competições oficiais. A nobre ação tem se repetido a cada ano. Ah, e novos voluntários são sempre bem-vindos!

Decreto revogado

O prefeito lajeadense Marcelo Caumo (PP) assinou um decreto para revogar um decreto assinado pelo ex-prefeito, Luís Fernando Schmidt. A norma extinta havia instituído “a obrigatoriedade de realizar procedimentos de reavaliação, redução ao valor recuperável de ativos, depreciação, amortização e exaustão dos bens pertencentes à Prefeitura Municipal de Lajeado”.

Ouvidoria da Ouvidoria

A Prefeitura de Lajeado, por meio da Secretaria da Administração (SEAD), realiza uma pesquisa para avaliar o trabalho da Ouvidoria do município e sugerir melhorias ao setor. Para isso, foi criado um formulário online para o cidadão participar. O link está disponível na página da Ouvidoria no site da prefeitura. Conforme a secretária da Administração, Elisângela Hoss de Souza, o intuito é melhorar o atendimento do setor coordenado desde maio pelo ex-vereador Ildo Salvi (PSDB). Ainda de acordo com o governo, o setor passa por uma reformulação. A ideia é encaminhar as solicitações às secretarias responsáveis “de forma eletrônica”. E eu pergunto: já não deveria ser assim?