Parklet em Lajeado

opinião

Rodrigo Martini

Rodrigo Martini

Jornalista

Coluna aborda os bastidores da política regional e discussão de temas polêmicos

Parklet em Lajeado

Por

Vale do Taquari
BRDE - Lateral vertical - Final vertical

A Secretaria de Planejamento e Urbanismo de Lajeado (Seplan) recebeu a primeira solicitação formal para a instalação de um parklet na cidade. O empreendimento interessado é uma cafeteria inaugurada recentemente na esquina da Av. Benjamin Constant com a Rua Tiradentes, no centro da cidade. O pedido ainda passa por um estudo de viabilidade realizado pela equipe da Seplan. Para tal, foi criada uma cartilha com todos os detalhes, critérios e regras de segurança e acessibilidade para a necessária extensão da calçada.

Ampliar a oferta de espaços públicos, estimular processos participativos, incentivar a interação do bairro e gerar uma ressignificação das vias públicas são alguns benefícios citados no documento. E a cartilha também apresenta um dado curioso.

Segundo estudo realizado pela ONG Instituto Mobilidade Urbana, e válido para grandes centros urbanos, a estrutura que ocupa o lugar de duas vagas de estacionamento atende em média 300 pessoas por dia. Já as duas vagas para carros atendem uma média de 40 pessoas por dia.

O parklet da cafeteria será o primeiro de muitos, acreditem. Além de humanizar as vias públicas, as simpáticas estruturas agregam valor aos empreendimentos e geram mais renda e emprego para a comunidade. E pasmem. O primeiro projeto de lei para autorizar as estruturas foi rejeitado pela legislatura passada da Câmara de Vereadores. Em maio de 2019, e com votos de Neca Dalmoro (MDB), Paulo Tori (MDB), Sérgio Kniphoff (PT), Ederson Spohr (MDB), Sérgio Rambo (PT), Marcos Schefer (MDB), Waldir Blau (MDB) e Carlos Ranzi (MDB), o legislativo travou a ideia.

Por sorte, a nova legislatura aprovou sem maiores problemas a instalação das estruturas. Afinal, gerar renda, emprego e qualidade de vida não faz mal a ninguém.

Turismo e privatizações

O governo de Encantado estuda a possibilidade de privatizar a Lagoa da Garibaldi. Localizada próxima à estátua do Cristo Protetor, no acesso ao Morro das Antenas, o espaço é um dos principais pontos turísticos da região alta do Vale do Taquari. E a sugestão de privatizá-lo está no projeto do Plano Plurianual, que já está protocolado na Câmara dos Vereadores. Além disso, o governo prevê mais de R$ 3,5 milhões em investimentos públicos (e de terceiros) no local.

Memórias!

O acervo do Arquivo Histórico Municipal de Lajeado está ainda mais valioso. Ontem, o professor e historiador José Alfredo Schierholt doou diversos documentos históricos. São cinco livros códices referentes ao município que contém regulamentos, instruções, mensagens, atas de intendência, registro de divisas e registros de estatísticas.

Labilá avança!

O governo lajeadense anuncia os componentes do Comitê Especial de Gestão do LabiLá, o Laboratório de Inovação de Lajeado. O grupo será formado por Mariela Portz, Coordenadora de Inovação e Tecnologia; Elisete Mayer, representante do Gabinete do Prefeito; Henrique Pinto Reali, da Procuradoria do Município; Elisângela Hoss, da Secretaria de Administração; e André Bucker, representante da Secretaria do Desenvolvimento Econômico, Turismo e Agricultura. Eles serão responsáveis pela gestão das atividades do laboratório, elaboração e organização da agenda, e também deverão coordenar, monitorar e avaliar o desenvolvimento das atividades.

Rua coberta

A comunidade estrelense opinou e escolheu a Rua Fernando Abott (Calçadão) para receber a tão sonhada “rua coberta”. Entretanto, um dos idealizadores da proposta, o ex-prefeito Hélio Musskopf, sugere uma mudança no cronograma pré-definido. Ele quer uma área coberta na Rua Arnaldo Diehl, junto à histórica escadaria. O debate é longo. Ah, e nada impede que ambas as vias recebam tal estrutura. Certo?

Nova secretaria

O ex-prefeito Adroaldo Conzatti, morto em março deste ano, tentou implantar a Secretaria do Empreendedorismo, Desenvolvimento, Turismo e Inovação. Mas foi vencido pela legislatura passada da Câmara de Vereadores (inexplicavelmente, por sinal). Pois bem. A ideia persiste. De acordo com o projeto do Plano Plurianual 2022-2025 do município, o governo municipal pretende implantar a nova pasta. E o custo para os próximos anos é próximo de R$ 200 mil.

Prestando contas

Na segunda-feira, em Encantado, foi realizada uma Audiência Pública para a prestação de contas do 1º Quadrimestre de 2021 da Secretaria da Saúde. Estiveram presentes a Secretária da Saúde, Meio Ambiente e Assistência Social, Clarissa da Rosa Pretto Scatolla, o médico Paulo Ricardo Fuhr, e também o Secretário de Gestão Financeira, Klaus Werner Schnack, o ex-prefeito de Arroio do Meio.