Daer aceita encerrar contrato

Rodoviária de Estrela

Daer aceita encerrar contrato

Queda no número de passageiros ocorre há mais tempo, mas pandemia inviabiliza a continuidade dos serviços. Administrador pede ajuda do governo municipal para não fechar as portas até abertura de nova licitação

Por

Daer aceita encerrar contrato
Total de passageiros caiu 50% e operação ficou inviável, diz administrador (Foto: Jhon Tedeschi)
Estrela
Tudo na Hora 2 - Lateral vertical - Final vertical

“Desde março de 2020 estamos sempre fechando o mês no negativo. E agora a situação ficou insustentável”. Após enfrentar sucessivos prejuízos, o administrador da Estação Rodoviária de Estrela, Nelson Noll, não viu outra saída se não encaminhar ao Departamento Autônomo de Estradas de Rodagem (Daer) o pedido de cancelamento do contrato de concessão.

O documento foi enviado em fevereiro para o Conselho de Tráfego do Daer. Dois meses depois foi concedida a rescisão contratual. Desde então, a operação na rodoviária é provisória. O governo municipal e vereadores se reuniram nessa segunda-feira, 7, para debater alternativa para evitar o fechamento da rodoviária.

Segundo Noll, após a conclusão do balancete de maio, será encaminhada ao governo municipal uma solicitação de complemento da receita, até que seja aberta uma nova licitação para concessão do espaço. “Vamos seguir operando até que haja um ressarcimento. Nós não temos mais como suportar esse prejuízo”, afirma.

Queda acentuada

Não é de hoje que a Rodoviária de Estrela registra diminuição no número de passageiros. Nem do ano passado. A queda, segundo Noll, vem de mais tempo e também grande parte das estações rodoviárias do Estado.

Em abril de 2020, a queda no número de passageiros foi de 82% em relação ao último mês antes da pandemia. “Esse percentual foi reduzindo, chegamos a aproximadamente 50% no fim do ano passado. Mas, com a bandeira preta, aumentou de novo. E agora o movimento teve uma queda de 52%, comenta Noll. Para efeito de comparação, em maio deste ano, a Rodoviária registrou 3,7 mil passageiros. Em 2019, a média mensal se aproximava de 8 mil.

“Em outros tempos, já se vendeu mais de 10 mil passagens no mês. A queda não é de hoje. E se dá por diversos fatores, como o surgimento de novos municípios, aplicativos de transporte e passagem mais cara. Em 2019, já tínhamos uma queda na faixa de 30% com relação aos anos anteriores”, compara.

Fechamento de rodoviárias

Em alguns municípios, como Vera Cruz, no Vale do Rio Pardo, as concessões foram encerradas e não houve novas licitações para ocupação dos espaços.

Em julho de 2020, a Rodoviária de Cachoeira do Sul chegou a encerrar suas operações, mas reabriu as portas semanas depois. Em Santa Maria, o proprietário alugou o apartamento existente no prédio da rodoviária como forma de arrecadar fundos para manter o serviço.