Prenda publica livro com histórias da mulher gaúcha

Literatura

Prenda publica livro com histórias da mulher gaúcha

“Noivas de Preto” retrata tradição de diversas mulheres no estado, que teve origem no período feudal

Por

Prenda publica livro com histórias da mulher gaúcha
Com 138 páginas, obra conta a história das “Noivas de Preto” (Foto: Arquivo Pessoal)
Vale do Taquari
Imec - Lateral vertical - Final vertical

Da Idade Média ao século XX, as chamadas “noivas de preto” marcaram celebrações de casamentos desde o RS até a Europa. Mesmo dividindo opiniões, a tradição ajuda a contar a história da região e é o tema do livro “Noivas de Preto”, escrito pela prenda Jéssica Herrera, 22.

“A vestimenta fala pela mulher, expressa os sentimentos, os protestos, a classe social e, principalmente, a identidade. Procurei compilar no livro uma visão geral do assunto. Na pesquisa, identifiquei que a versão mais aceita é a que remonta ao Feudalismo”, explica a estudante de direito.

Ela conta que, especialmente no leste europeu, existia a tradição “ius prima nox” (direito à primeira noite). Isso significava que o Senhor Feudal dormia com a noiva de seu vassalo, pela primeira vez, na noite anterior ao casamento. Segundo a pesquisa, em protesto e luto, as mulheres escolhiam a cor preta para vestir no casamento, a fim de mostrar o desgosto com o costume praticado pelos senhores feudais.

“Aqui no Rio Grande do Sul, as noivas de preto aparecem como uma tradição perpetuada por mulheres de origem germânica, considerando que seria o vestido mais bonito de toda sua vida e que elas poderiam utilizá-lo em outras ocasiões”, conta a lajeadense.

Durante a pesquisa, Jéssica teve contato com cinco vestidos de noiva de preto, três deles preservados pelo Museu de Venâncio Aires, e os outros dois conservados por famílias de Marques de Souza e Westfália. O livro contempla 138 páginas de história e mais de 20 entrevistas em quatro municípios do Vale do Taquari e Rio Pardo: Lajeado, Marques de Souza, Venâncio Aires e Westfália.

Uma estreante

Noivas de Preto é a estreia de Jessica no universo literário e seu maior desafio foi lidar com a carência bibliográfica e a falta de reconhecimento do tema. “A maioria das pessoas não conhece e nunca ouviu falar sobre as Noivas de Preto. No entanto, acredito que quem possui descendência alemã pode encontrar registros com a presença delas”.

Ela conheceu a tradição quando reuniu fotografias dos familiares para um trabalho escolar. Mas foi em 2017 que iniciou a pesquisa, com a temática geral proposta pelo Movimento Tradicionalista Gaúcho. “Escolhi apresentar as Noivas de Preto, a fim de conhecer mais sobre a minha própria história”, conta. O trabalho foi apresentado na Mostra Folclórica da 48ª Ciranda Cultural de Prendas, em 2018 e inspirou a criação do livro.

A pré-venda da obra vai até 11 de maio no valor de R$ 29,90. O livro pode ser adquirido pelo número (51) 99507-8183 e será lançado no dia 11 em uma live na página do Facebook da Editora Pragmatha.