A Direita segue nas ruas. E a Esquerda, no Facebook

opinião

Rodrigo Martini

Rodrigo Martini

Jornalista

Coluna aborda os bastidores da política regional e discussão de temas polêmicos

A Direita segue nas ruas. E a Esquerda, no Facebook

Por

Brasil
Imec - Lateral vertical - Final vertical

A Direita tomou às ruas no sábado reservado ao Dia do Trabalhador. E mostrou toda a força popular que a Esquerda deixou no passado. A Direita comprovou que o presidente Jair Bolsonaro conta com um gigantesco apoio popular, diferentemente do que pensam as alas mais radicais da Esquerda. A manifestação do dia 1º de maio está entre as maiores já registradas no país. E o apoio popular e espontâneo ao chefe maior da nação brasileira também foi um banho de água fria na confusa CPI da Covid, cujo relator é o famigerado Senador Renan Calheiros (MDB).

E o que sobrou para a Esquerda? O Facebook. É isso. Enquanto milhões de “direitistas” foram às ruas para defender o presidente, os “esquerdistas” foram desdenhar do movimento nas redes sociais. E as críticas, ou “lacrações”, beiram a infantilidade. “Atrapalharam o trânsito”. “Vi gente sem máscara”. “Não pedem nada de útil”. “Desfile de carrões”. “Gado indo para o abate”. “O trabalhador precisando descansar e os ‘bolsonaristas’ enchendo o saco”. Na média, foi essa a pueril resposta da Esquerda ao movimento da Direita que levou milhões às ruas. É mole?

O fato é esse: a Esquerda está escondida nas redes sociais e levando um banho da Direita. A Esquerda está distante do povo. E o pior. Há uma ala mais identitária da Esquerda que insiste em tratar uma parte do povo mais carente como preconceituoso, machista, racista e homofóbico. Ora, a Esquerda brasileira só conseguirá se reconectar com o povo outra vez quando reaprender a gostar dos pobres e a entender os seus valores e princípios. Hoje a Esquerda brasileira não gosta de pobre. Ela gosta de militante. E é assim que as pautas da esquerda são construídas de cima para baixo.

Qualificação e proatividade

Falta proatividade aos trabalhadores de Estrela. Essa é uma das principais constatações de um estudo realizado pela Secretaria de Desenvolvimento, Inovação e Sustentabilidade (Sedis) com cerca de 30 empresas estrelenses. A pesquisa faz parte do programa Balcão de Qualificação, cujo objetivo é mapear o capital humano e verificar as principais carências da mão de obra local, para o posterior encaminhamento aos cursos técnicos de referência no município. É um trabalho diferenciado e que tende a facilitar a conexão entre empregadores e empregados. E é um trabalho a ser copiado pelas demais administrações municipais.

Leite não vem!

A assessoria do governador Eduardo Leite (PSDB) confirmou que o chefe do executivo estadual não virá a Lajeado no próximo dia 10. Havia uma pré-agenda do tucano que incluía uma visita ao Hospital Bruno Born (HBB) para inauguração de novos aparelhos. Entretanto, a agenda pode ter sido alterada em função do anúncio do novo modelo de distanciamento social, pré-agendado para a mesma data.

O Cristo em Brasília

Nessa segunda-feira, o prefeito de Encantado, Jonas Calvi (PTB), esteve em Brasília acompanhado dos integrantes da Associação Amigos do Cristo Protetor. Também participaram da comitiva alguns prefeitos, vereadores e assessores da região. Eles foram recepcionados pelo Ministro Onix Lorenzoni, da Secretaria Geral da Presidência, e apresentaram o projeto do Cristo Protetor. Entre as reivindicações, verbas para melhorar o entorno da estátua e também um convite ao presidente Jair Bolsonaro, para que ele se faça presente na inauguração do monumento, prevista para dezembro.

Turismo receptivo

A Associação dos Municípios de Turismo da Região dos Vales (Amturvales) e o Sebrae local estarão presentes na próxima Festuris Connection, que ocorre entre os dias 6 e 7 de maio, em Gramado. O evento busca fortalecer marcas e destinos turísticos, e será realizado em formato híbrido, presencial e online, com apresentação de cases reais e exemplos práticos de quem faz o marketing e vendas de importantes empresas.

a quarta edição do evento. E será a primeira vez que a região estará presente com espaço próprio. Para a turismóloga da Amturvales, Cristiane Viel, a participação é importante para a comercialização dos destinos e roteiros do Vale do Taquari, bem como eventos futuros. “A expectativa é de contato com mais de 200 agências, prospectando negócios.” E claro. O Cristo Protetor será o carro-chefe da nossa região.

Justiça x Executivo

Os contribuintes lajeadenses acompanhavam de longe a queda de braço entre poderes executivos e as mais diversas instâncias do judiciário brasileiro. Agora, o contribuinte lajeadense pôde assistir ao mesmo embate envolvendo a prefeitura de Lajeado e a justiça local. O caso envolve 61 estagiários da rede municipal de educação, que entraram na justiça após o governo municipal suspender os contratos em função das aulas remotas. A 2ª Vara Cível da Comarca de Lajeado concedeu uma liminar em favor dos estudantes e determinou, de forma monocrática, que os contratos não podem ser suspensos e que a administração pública deve pagar as bolsas enquanto perdurar a pandemia. E mesmo com o reinício das aulas presenciais, a procuradoria do município avalia se vai recorrer.

“Dopinho”

Um acordo celebrado entre a Promotoria de Defesa do Meio Ambiente de Porto Alegre e a moradora do casarão onde funcionou o antigo Dopinho (em alusão ao Departamento de Ordem Política e Social, o Dops), garantiu a recolocação de uma placa alusiva aos crimes ocorridos durante o regime militar. Originalmente fixada na calçada em agosto de 2015, dentro do projeto Marcas da Memória, a antiga placa havia sido totalmente coberta por concreto. O antigo “Dopinho”, localizado na rua Santo Antônio, foi considerado o primeiro centro clandestino de repressão, instaurado logo após abril de 1964. O espaço funcionava como uma prisão política.