Ser jornalista

opinião

Jéssica R. Mallmann

Jéssica R. Mallmann

Jornalista

Colunista do Caderno Você

Ser jornalista

Por

Imec - Lateral vertical - Final vertical

Contar histórias sempre foi uma de minhas paixões. Desde pequena me encanto pela narrativa da vida das pessoas e pela possibilidade de poder transformar o dia de alguém por meio das palavras.

Lembro-me que na infância gostava de escrever diários, crônicas e histórias como uma forma de expressar meus sentimentos. E graças a timidez, característica ainda presente no meu ser, aprendi a observar as pessoas e desenvolvi a escrita como “campo de fala”.

Demorou um tempo para que eu me encorajasse a exteriorizar pensamentos e opiniões. Mas quis o destino que eu transformasse a minha paixão em profissão. Então, virei jornalista. Sem dúvidas, uma das melhores decisões que tive.

Foi ao exercer a profissão que descobri que jornalismo vai muito além de apenas noticiar. A gente transforma vidas. Não importa o tamanho da matéria, a informação de qualidade muda as pessoas, as influencia.

É quase como se escrevêssemos um livro todos os dias. A diferença é que essa narrativa não tem fim, nem mesmo um personagem principal, pois todos podem ser protagonistas destas histórias, que chamamos de matérias.

Todos os dias há um novo capítulo. Alguns são rápidos, enquanto outros repercutem por mais tempo e, consequentemente, são duradouros e reflexivos. Há também fatos marcantes que mexem, inclusive, com o escritor da trama. E isso é o mais legal da profissão, pois, assim como levamos informação e conhecimento ao leitor, aprendemos todos os dias com os entrevistados.

Claro que não é só de glamour que se vive essa profissão. Quem é, ou conhece alguém da área de comunicação, sabe que é preciso ter um certo nível de loucura e não se importar tanto em manter a rotina.

A gente nunca sabe como realmente vai ser o dia, muito menos consegue prever a hora exata que chegará em casa. Dependendo o envolvimento com a história, até pulamos uma refeição, sem querer.

E o café, que vira nosso melhor amigo? (risos). Até mesmo eu, que detestava a bebida, já a tenho como um item essencial para os dias mais puxados.

Mas é bom demais viver toda essa loucura. Descobrir que tudo pode virar pauta e conhecer muitas pessoas e histórias.

No dia 7 de abril comemoramos o Dia do Jornalista. Por isso, quero deixar os parabéns a todos os profissionais desta área e agradecer a cada pessoa que faz o nosso trabalho ser possível. Que possamos escrever, todos os dias, novas histórias.