“Precisou de uma pandemia para mostrar que a educação é essencial”

EDUCAÇÃO EM ESTRELA

“Precisou de uma pandemia para mostrar que a educação é essencial”

Secretária de Educação, Elisângela Mendes, participou da programação da Rádio A Hora 102.9 e avaliou o cenário atual de suspensão das aulas

Por

Atualizado quinta-feira,
08 de Abril de 2021 às 17:42

“Precisou de uma pandemia para mostrar que a educação é essencial”
(Foto: Ana Carolina Becker)
Estrela
CRON Previne - Lateral vertical - Final vertical

“Precisamos ter planejamento para todos os cenários possíveis e estar preparados”. Afirmação é da secretária de Educação de Estrela, Elisângela Mendes, durante o programa Frente e Verso, da Rádio A Hora 102.9, desta quarta-feira, 7. Em entrevista, ela avaliou a suspensão das aulas e repercutiu o projeto que reverte o recurso de merendas escolares em cestas básicas no município.

Conforme a secretária, as atividades são feitas de forma híbrida. O grupo do WhatsApp e o blog da Educação são os locais onde as tarefas estão disponibilizadas. Segundo ela, alguns encaminhamentos de tarefas são realizados de forma física, pois existem famílias que ainda não possuem acesso à internet. “Avançamos nas aulas remotas e ampliamos os atendimentos diretos com as crianças”, pontua.

Neste ano, uma professora está encarregada de fazer uma busca ativa aos alunos que não estão procurando a escola. Com isto, será possível entender o que está acontecendo com as crianças e suas famílias.

Cerca de 800 profissionais trabalham na Secretaria de Educação. De acordo com a responsável pela pasta, os professores e monitores recebem formações mais específicas para cada área de atuação. “O objetivo é aprimorar a prática pedagógica e atender o aluno com qualidade”, aponta.

Segundo Elisângela, é necessário pensar em um replanejamento, pois algumas lacunas ficarão e, por isso, será preciso retomar alguns conteúdos. “Estamos estabelecendo contato com a rede de atendimento para que, caso seja necessário, possamos fazer o encaminhamento de alunos para atendimento psicológico e avaliações neurológicas”, salienta.

Conforme ela, a pasta pensa em um retorno próximo e na reestruturação do ensino remoto, de acordo com os protocolos de cuidados e da manutenção do ensino híbrido.

“Precisou de uma pandemia para mostrar que a educação é essencial”, ressalta.

Merenda escolar revertida em cestas básicas

Outro assunto abordado durante a entrevista foi a entrega de 1.830 cestas básicas às famílias com alunos matriculados na rede municipal. Parte do orçamento mensal utilizado para a compra de merenda escolar foi destinada para a aquisição dos mantimentos. Foram investidos aproximadamente R$ 75 mil na ação que é uma parceria entre o Executivo e Legislativo.

“É um momento importante. Quando trabalhamos em parceria, as coisas tendem a funcionar e a população ganha com isso”, afirma.

De acordo com a secretária, a iniciativa foi realizada porque muitas famílias apresentam necessidades. Além disso, a pandemia afetou várias pessoas de forma financeira. “A merenda escolar é um direito. Decidiu-se por usar este recurso e destiná-lo a essas famílias como forma de apoiar e minimizar os impactos da pandemia”, explica.

Cerca de 3,7 mil alunos estão matriculados na escolas municipais. Para saber quem realmente precisava do auxílio, foi realizado um levantamento com as famílias. Aquelas que necessitavam do alimento solicitaram. “Se persistir este cenário, vamos organizar um novo momento assim”, salienta.

Ouça a entrevista de Elisângela Mendes na íntegra: