“Nossa intenção é tarifa menor com mais investimentos”

Pedágios

“Nossa intenção é tarifa menor com mais investimentos”

Secretário extraordinário de Parcerias do RS participou de entrevista no programa A Hora Bom Dia para falar sobre o projeto de concessão das rodovias estaduais

Por

Atualizado quinta-feira,
08 de Abril de 2021 às 09:22

“Nossa intenção é tarifa menor com mais investimentos”
(Foto: Divulgação/Pedro França/Agência Senado)
Vale do Taquari
CRON Previne - Lateral vertical - Final vertical

O processo de concessão das rodovias abrangerá mais de 1.050 quilômetros de estradas. Parte desse projeto também deve beneficiar três rodovias do Vale do Taquari: ERS-130, 129 e RSC-453. Na manhã desta quinta-feira, 8, o secretário extraordinário de Parcerias do RS, Leonardo Busatto, participou de entrevista no programa A Hora Bom Dia, da Rádio A Hora 102.9, para falar sobre o assunto.

A Rota do Sol (RSC-453) será concedida no trecho que passa pelo Vale e segue até a serra gaúcha. No entanto, segundo Busatto, devido ao movimento sazonal e que não justifica partir para a iniciativa privada, o trecho que vai até o litoral seguirá sendo administrada pelo Departamento Autônomo de Estradas de Rodagem (Daer).

Em cerca de um mês e meio começarão a ser divulgadas as características do projeto. Ele reforça que aqueles que conhecem as demandas da região serão ouvidos entre os meses de junho e julho. Antes disso, ocorrerem reuniões com os prefeitos. “Tenho certeza que o projeto que está sendo construído contempla grande parte das demandas da região”, comenta.

Após a apresentação do projeto à comunidade, ele será finalizado e em setembro deverá ser lançado o edital de concessão. Em dezembro os leilões começam a ocorrer pela Bolsa de Valores de São Paulo. “Até maio de 2022 o contrato deve ser assinado e a contar disso a empresa é obrigada a iniciar a manutenção de tapa buracos, sinalização e garantir uma boa trafegabilidade para o usuário”, diz.

A partir de 2023 devem iniciar os investimentos de duplicação. O projeto, conforme Busatto, prevê cerca de 70% de duplicação da malha. Questionado sobre a duplicação dos trechos que passam pela região, sinalizou positivamente para trechos entre Encantado e Lajeado, Estrela e Teutônia e Lajeado e Venâncio Aires.

Ele ainda não sabe especificar sobre o valor das tarifas, mas adianta que trabalha-se para garantir uma tarifa básica para os trechos que devem ganhar novas praças de pedágios, enquanto outras serão extintas. Lembrou sobre a concessão da RSC-387, feita por uma empresa espanhola, que arrematou com o custo do pedágio em R$ 3,70, enquanto hoje o preço da tarifa é de R$ 7,40 com a EGR. “É um investimento alta que precisará ser feito e isso tem impacto na tarifa de pedágio.”

Ouça a entrevista na íntegra