Municípios projetam continuidade de obras em parques

Espaços de lazer

Municípios projetam continuidade de obras em parques

Trabalho nas duas áreas de lazer próximas à orla do Forqueta está paralisado. Em Marques de Souza, nova etapa deve ocorrer em maio. Travesseiro prevê obras para o segundo semestre

Por

Municípios projetam continuidade de obras em parques
Para atual prefeito, desafio será a área de nove hectares do Parque Municipal Nova Berlim da Forqueta, em Marques de Souza (Foto: Fábio Kuhn)
Vale do Taquari
Imec - Lateral vertical - Final vertical

O governo de Marques de Souza finaliza a licitação para mais uma etapa do Parque Municipal Nova Berlim da Forqueta, obra prevista para iniciar em maio. Emenda de R$ 250 mil será utilizada para a construção de belvedere e expansão da iluminação e pista de caminhada que cortam a gigantesca área de lazer.

Ao total, são nove hectares entre a BR-386 e orla do Rio Forqueta. As obras iniciaram em 2020. Até o momento, o parque possui brinquedos, academia ao ar livre, bancos e quiosques, além de parte da pista de caminhada. Investimento foi de R$ 1,6 milhões – R$ 1,4 milhões para aquisição da área de terras e R$ 250 mil na estrutura.

Idealizador do projeto, o ex-prefeito Edmilson Dörr, o “Brida” classificou o futuro parque como novo “cartão de visitas do Vale do Taquari”. Atual mandatário, Fábio Mertz reforça a importância do projeto, embora perceba dificuldades em sua estruturação e manutenção em meio à pandemia.

Conforme ele, nesse primeiro momento, um dos desafios é manter a área limpa. “Teve pontos em que a grama não vingou e o mato começou a crescer. Como é uma estrutura gigantesca, não temos funcionários para dar conta. Por isso, estamos organizando essas equipes de trabalho”, pontua.

Além das obras previstas na segunda etapa, o parque deverá ter quadras de esportes, ciclovia, jardim sensorial e outros atrativos. Para finalizar a área de lazer, Mertz estima que serão necessárias duas décadas.

O prefeito defende que, no futuro, parcerias público/privadas deverão ser feitas para que empresas possam explorar os espaços em troca de auxílio na manutenção. Verbas estaduais e federais também são pleiteadas para a obra.

Parque em Travesseiro

Cerca de R$ 100 mil seriam necessários para finalizar a área de lazer próxima da ponte que liga Travesseiro e Marques de Souza. Essa é a estimativa do prefeito Gilmar Southier.

Iniciada em outubro do ano passado, a primeira etapa da construção do parque próximo à orla do Forqueta contou com limpeza da área, demarcação de vias de acesso, construção das calçadas, muro de contenção de 80 centímetros e inicio da pista de caminhada. O investimento inicial foi de R$ 45 mil.

Sem infraestrutura e com a pista de caminhada ainda a ser concretada, o espaço de 2,6 mil metros quadrados está inutilizado. “Não tem sombras ou estrutura para receber o público”, reconhece Southier.

Nos próximos dias, o governo de Travesseiro deve plantar grama e árvores no parque. Investimentos maiores deverão ser feitos no segundo semestre, ressalta o prefeito.

Nesse primeiro momento, reforça a necessidade de investir em outras prioridades como a reforma das escolas para se adequar aos protocolos contra a covid-19 e reorganização da secretaria de Agricultura. “Vamos dar continuidade na obra, mas nesse primeiro momento temos questões prioritárias para resolver”, reforça.

Na avaliação do prefeito, o investimento deveria ter sido melhor planejado. “O local não tem estacionamento ou banheiros próximos. Acaba gerando um alto custo, por isso temos que trocar ideias com a população e buscar alternativas para a área de lazer ser utilizada”, pontua.

Southier lista a necessidade de concretar a pista de caminhada, instalar brinquedos e outros equipamentos no local. Também prevê a necessidade de organizar o estacionamento e reavaliar a construção do muro na barranca do Forqueta.