Plano de Saúde dos professores

opinião

Rodrigo Martini

Rodrigo Martini

Jornalista

Coluna aborda os bastidores da política regional e discussão de temas polêmicos

Plano de Saúde dos professores

Por

Vale do Taquari
Imec - Lateral vertical - Final vertical

A polêmica sobre a dívida de R$ 417 mil do Sindicato dos Professores Municipais de Lajeado (SPML) com a Unimed ainda tem muito “pano para a manga”. A nova diretoria herdou o débito da gestão anterior e, conforme acordado em assembleia virtual, o prejuízo será quitado pelos professores, mediante pagamento antecipado por parte do Executivo. Ou seja, o governo municipal paga a dívida e depois cobra de forma parcelada dos profissionais da educação. Foi a única forma de evitar a suspensão dos planos de saúde dos educadores.

Mas tem “pano para a manga”, eu reforço. Nem todos os professores estão de acordo com a decisão do sindicato. E como a culpa não é da atual diretoria, a indignação tende a se voltar para a diretoria anterior, que era presidida pela suplente da Câmara de Lajeado, Mara Goergen. Ontem, aliás, ela encaminhou ofício aos vereadores – que terão de avaliar um projeto de lei para aprovar ou não a antecipação do pagamento da dívida por parte do Executivo. No texto, Mara diz que o sindicato já apresentava problemas antes dela assumir a presidência.

Conforme a professora e suplente do Legislativo, o sindicato possuía uma secretária responsável pelos planos, e alerta que a entidade também sofria com problemas de atrasos no pagamento da telefonia. Por fim, a ex-presidente chama a atenção para o fim da contribuição sindical obrigatória. Segundo ela, os problemas financeiros e as recorrentes inadimplências se agravaram a partir de 2017, especialmente. Mara afirma ainda que, mesmo com atrasos, os planos de saúde eram pagos pelo sindicato e nenhum professor teve o benefício suspenso em função dos problemas.

Moções de Pesar

A Câmara de Encantado aprovou uma simbólica e histórica Moção de Pesar. A primeira na história do município encaminhada aos familiares de um prefeito em exercício. Mas Adroaldo Conzatti não foi o único homenageado na sessão dessa segunda. Os vereadores também homenagearam os familiares de Dirceu Kerber, Edison Bazarelli Soares, Alonso Roque Giordani, Clenio Camargo e Luiz Bonfanti.

Novas pautas

Em Encantado, a Câmara de Vereadores avalia o projeto de lei que autoriza o Executivo a conceder ajuda de custo a atletas que representam o município em competições esportivas. Outra pauta ainda sob análise dos parlamentares dispõe sobre a remoção de veículos abandonados ou estacionados “em situação que caracterize seu abandono em via pública”.

Novas lixeiras

Por meio de nova dispensa de licitação, o governo de Lajeado comprou 15 novas lixeiras metálicas. O valor total da compra ficou em R$ 15 mil. Já o projeto dos contêineres parece que empolgou a equipe da Secretaria de Meio Ambiente. Instalados por meio de um projeto piloto da administração municipal, a ferramenta ainda carece de uma melhor educação por parte da comunidade.

Xeque-mate no governador

A expressão partiu de um ouvinte do programa Frente e Verso, e é referente à proposta da Associação Gaúcha dos Varejistas (AGV) para a abertura do comércio neste sábado. A entidade sugere a abertura no sábado e, como forma de compensar o dia de trabalho, sugere também o fechamento do comércio na segunda-feira. Essa ideia, de fato, será difícil de negar!

Multas mais salgadas

À medida que o tempo passa, as aglomerações persistem. Diante disso, ações administrativas e judiciais apontam para uma maior rigidez no controle da massa. E isso passa pelo bolso do cidadão, claro. Em Passo Fundo, por exemplo, o poder Executivo ampliou, mediante decreto, o valor da multa que será aplicada aos organizadores, frequentadores, proprietários e posseiros dos imóveis em que ocorrerem as atividades clandestinas ou não regulamentadas. Na primeira autuação, o valor será de R$ 2,5 mil. No caso de reincidência, a multa será aplicada em dobro e, assim, sucessivamente.

Já na Serra Gaúcha, e a pedido do Ministério Público, a Justiça de Gramado elevou para R$ 5 mil a multa diária por descumprimento da liminar que obriga o Governo Municipal “a fiscalizar e não autorizar a abertura dos estabelecimentos comerciais da cidade, em conformidade com o Sistema de Distanciamento Controlado do Estado”. Na terça-feira, o promotor de Justiça Max Guazelli relatou “absoluto descumprimento, por parte do Poder Executivo Municipal, do dever de fiscalização dos estabelecimentos comerciais situados nesta cidade”.

Teuto Park

A primeira etapa das obras do Teutopark deve ser finalizada até o início de julho. Por ora, o município realizou o leilão de três lotes do novo centro gastronômico, comercial e de recreação. O governo também prevê asfaltamento de um trecho da Avenida 1 Oeste para posteriormente implantar o calçadão do parque lançado ainda durante a gestão do ex-prefeito, Jonatan Brönstrup (PSDB).

SEM PRESSÃO

Na segunda-feira, o prefeito de Lajeado, Marcelo Caumo (PP), e o Presidente da Câmara de Vereadores, Isidoro Fornari (PP), estiveram reunidos com o secretário chefe da Casa Civil do Governo do Estado, Artur Lemos, para entregar pedido de flexibilização das restrições aos setores produtivos do município. E o que chamou a atenção da dupla foi a facilidade de agendar o encontro. O que me leva a crer que poucos prefeitos e entidades estão, de fato, pressionando o governo estadual.