Dívida com a UNIMED

opinião

Rodrigo Martini

Rodrigo Martini

Jornalista

Coluna aborda os bastidores da política regional e discussão de temas polêmicos

Dívida com a UNIMED

Por

Vale do Taquari
Imec - Lateral vertical - Final vertical

Conforme divulgado faz algumas semanas, o Sindicato dos Professores Municipais de Lajeado (SPML) possui uma dívida de R$ 417 mil com a Unimed, valor referente aos planos de saúde dos profissionais. Ontem, a presidente Rita de Quadros encaminhou ofício à Câmara de Vereadores, para explicar a situação. No documento, a entidade reforça que a dívida é uma herança da gestão anterior – que deixou a direção em cinco de janeiro de 2021 – e já se arrasta desde 2014.

E a solução encontrada e aprovada em Assembleia Geral prevê a quitação do débito por meio de adiantamento do valor mensal de R$ 27,50 repassado pela prefeitura como auxílio aos professores. Ou seja, todos terão de pagar a dívida pouco a pouco, mês a mês. Além disso, a direção informa que realiza um levantamento criterioso sobre a situação financeira do sindicato nos últimos anos. Por fim, informa que os boletos referentes planos de saúde vêm sendo pagos em dia ou adiantados.

Em Santa Clara do Sul

Ex-presidente do Conselho de Desenvolvimento do Vale do Taquari (Codevat), Cíntia Agostini foi contratada pela Prefeitura de Santa Clara do Sul. Ela vai assessorar o prefeito Paulo Kohlrausch (MDB), que também é presidente da Amvat, e vai atuar na área do Desenvolvimento Estratégico.

Prioritários e consenso

Não há consenso sobre os grupos prioritários na agenda de vacinação. Em Estrela, por exemplo, os vereadores João Braun (PP) e Tiane Cagliari (PV) sugerem a inclusão de novas classes. O progressista pede para que seja feita a inclusão dos profissionais da área da Segurança Pública, na vacinação contra o covid-19 no município. Já a representante do Partido Verde sugere a mesma inclusão, e vai adiante. Ela pede preferência para “terapeutas de práticas integrativas” e “médicos veterinários”.

Corsan em Arroio do Meio

A Câmara de Vereadores avalia um projeto de lei que autoriza o município a “prestar serviços para a Companhia Riograndense de Saneamento (Corsan), com a execução de serviços pertinentes à abertura e fechamento de valas, bem como, remoção e recomposição de pavimentos, com equipamentos/máquinas do Município e/ou terceirizados, visando a execução de melhorias na rede de distribuição de água”.

Sobram vacinas?

Em meio a todo um movimento para compra de vacinas por parte do Governo de Lajeado, uma informação antagônica: estão sobrando vacinas na cidade. A média de pessoas vacinadas diariamente é de cerca de 500. Porém, e de acordo com a coordenadora da Vigilância Epidemiológica de Lajeado, Juliana Demarchi, as equipes da prefeitura poderiam vacinar até 800 pessoas por dia. Ou seja, sobrariam 300 doses. É um dado preocupante. E é preciso encontrar respostas para a intrigante realidade. Afinal, será que a divulgação da campanha está chegando a todos os integrantes dos chamados grupos prioritários? Ou será que parte da população não confia na vacina? Seja lá qual for o problema, é preciso resolvê-lo ainda hoje!

Nova passarela

A passarela que cruza a BR-386 nas imediações do Shopping Lajeado será demolida. A CCR Viasul vai construir uma nova estrutura um pouco mais à frente do shopping, e com maior extensão. O objetivo é adequar às futuras vias marginais que serão construídas pela concessionária.

A conta dos estagiários

O desejo compulsivo de sindicatos e militantes que torcem com fervor e sem razão pela suspensão das aulas presenciais criou novas vítimas em Lajeado: os estagiários da Secretaria de Educação. Sem o necessário acompanhamento físico por parte dos profissionais formados, os estagiários não podem ser mantidos pelo poder público. É uma razão óbvia. Afinal, sem o estudo presencial, o modelo e as razões de um estágio não se sustentam. É uma pena. A situação vai gerar prejuízos — financeiros e profissionais – aos estudantes que buscam a carreira de professor. E essa “conta” precisa ser repassada ao CPERS e entidades que seguem lutando contra o retorno às salas de aula!

Pedágio mais caro

Em meio à pandemia, todo e qualquer reajuste para cima é indigesto para o bolso do cidadão brasileiro. E não foi diferente com o aumento de R$ 0,10 nas praças de pedágio da BR-386. Diante disso, a Câmara de Vereadores de Estrela aprovou uma “Moção de Repúdio à atitude da CCR Viasul pelo aumento das tarifas de pedágio nas praças da BR-386 neste momento de pandemia e de transtornos ocasionados pelo acidente na ponte sobre o Arroio Boa Vista em Estrela.”

Refis em Lajeado

Em Lajeado, o Programa de Recuperação de Créditos Tributários e Não Tributários (Refis) retorna em 2021. A ideia é não garantir desconto de multas e juros de 100%. Afinal, é injusto com que pagou em dia. Com isso, os descontos devem ser de 80% para quem pagar à vista e 60% para quem optar pelo parcelamento em até 36 vezes. Em 2020, por exemplo, o montante dos créditos tributários passíveis de cobrança administrativa girava em torno de R$ 80 milhões.

Corsan em Estrela

A Câmara de Vereadores aprovou pedidos de informações repassados à Corsan. Os legisladores querem saber se a Companhia Riograndense de Saneamento “está fazendo os repasses mensais no valor de R$ 15 mil até a entrada em operação da estação de tratamento de esgoto”, e se a empresa pública “está ressarcindo o município ao valor equivalente a 5% do faturamento, pela utilização da rede pluvial, conforme o contrato vigente”.