Líderes empresariais sugerem flexibilização e proposta será encaminhada ao Estado

Bandeira Preta

Líderes empresariais sugerem flexibilização e proposta será encaminhada ao Estado

Autorização de recebimento de pagamento do crediário nas lojas, a venda take-away e a prestação de serviços individuais com hora marcada estão entre as solicitações

Por

Atualizado sábado,
06 de Março de 2021 às 13:15

Líderes empresariais sugerem flexibilização e proposta será encaminhada ao Estado
(Foto: Filipe Faleiro)
Lajeado
Imec - Lateral vertical - Final vertical

Empresários ligados à Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL) de Lajeado, Sindilojas Vale do Taquari, Associação Comercial e Industrial de Lajeado (Acil) e Sindicato dos Cabeleireiros do Vale do Taquari (Sindicabes) realizaram mais um encontro neste sábado, dia 6, pela manhã na sede da Acil.

Mobilizados para encontrar alternativas de funcionamento mínimo de suas atividades, o grupo debateu ideias e a busca de soluções. Logo após, os presidentes das entidades se reuniram na prefeitura com o prefeito de Lajeado, Marcelo Caumo, e o secretário da Secretaria do Desenvolvimento Econômico, Turismo e Agricultura, André Bücker.

As lideranças repassaram o clamor das empresas por medidas que amenizem os prejuízos pelo fechamento das empresas e a preocupação crescente com a permanência da bandeira preta. Com resultado, ficou definido o encaminhamento de um pedido conjunto das entidades e do governo municipal solicitando a flexibilização das regras, mesmo durante a vigência da bandeira preta. A solicitação busca a autorização para o recebimento de pagamento do crediário nas lojas, a venda take-away e a prestação de serviços individuais com hora marcada.

As conversas também serviram para reforçar o entendimento de que o comércio e serviços são lugares seguros para as pessoas, sejam trabalhadores ou clientes, porque seguem rigorosamente os protocolos de cuidados e prevenção. Além disso, para expressar o entendimento de que todas as empresas são importantes, pelo emprego e renda gerados, as entidades incentivam o uso das vitrines e redes sociais. Com a frase #todotrabalhoéessencial ou outras de significado semelhante, a classe busca a sensibilidade da comunidade e das autoridades para funcionar e poder manter seus negócios.