Inter busca no passado a esperança para o título

Chance do tetra

Inter busca no passado a esperança para o título

Colorado precisa vencer o Corinthians e torcer contra o Flamengo para comemorar um título que não vence desde 1979, em situação que lembra o campeonato de 2009. No Vale, torcedor relembra histórias com o clube

Por

Inter busca no passado a esperança para o título
Abel Braga pode sagrar-se campeão brasileiro com o Inter (Foto: Ricardo Duarte)
Estado
Imec - Lateral vertical - Final vertical

O Internacional não depende apenas de si, mas pode encerrar hoje uma seca que dura 41 anos. Na última rodada do Campeonato Brasileiro, precisa vencer o Corinthians e torcer para que o Flamengo não vença o São Paulo.

Tricampeão na década de 1970, pode fazer com que torcedores de várias gerações vejam o primeiro título de Brasileirão do clube. Outros, no entanto, tiveram a sorte de estarem presentes nas três conquistas do campeonato, em 1975, 1976 e 1979.

Este é o caso do morador do Bairro Conventos, Osmar Sonntag, 60. Sua história com o Colorado iniciou inclusive antes de nascer, com o pai Kurt Sonntag. “Ele aprendeu a gostar do Inter na década de 50, quando saiu do interior de Tapes para Porto Alegre. Ajudou na construção do Beira-Rio, onde carregou tijolos e areia para construírem o estádio”, comenta.

Em 1964, seu pai comprou um título de sócio do clube, pagou em 28 prestações sem nem saber direito do que se tratava. “Meu pai faleceu em 1999 e este título ficou guardado até 2008. Na época minha família foi ver os documentos e, por surpresa, descobrimos que eu tinha em meu nome uma cadeira cativa no Beira-Rio”, a surpresa foi grande ao descobrir que a família era dona de um título de sócio paraninfo patrimonial desde a inauguração do Gigante. “Na verdade eu sou sócio desde antes de nascer e mal sabia.”

Osmar Sonntag é sócio do Inter desde que nasceu (Foto: Rodrigo Vedoy)

Do passado ao presente

Sonntag busca no passado inspiração para o presente. Lembra de grandes times do Inter, principalmente os da década de ouro, dos anos 1970. “Quase todo colorado diz que o melhor time que tivemos foi o de 2006, do Fernandão, mas eu discordo. O time de Falcão, com o trio de ataque formado por Valdomiro, Lula e Escurinho, foi o melhor”, aponta.

Foi Falcão o último jogador a levantar uma taça de campeonato nacional no Beira-Rio. Para Sonntag, o próximo será Rodrigo Dourado. “Está muito difícil, mas a esperança é a última que morre. Eu acredito em vitória do Inter por 2 a 0 sobre o Corinthians e resultado negativo do Flamengo.”

Para ser campeão

O Inter de Abel Braga perdeu a liderança do Brasileirão na penúltima rodada da competição, ao perdeu para o Flamengo por 2 a 1 no Maracanã. Para ser campeão, terá de vencer o Corinthians, no Beira-Rio e torcer para o Flamengo não vencer o São Paulo, no Morumbi. Todas as partidas da rodada ocorrem às 21h30min.

Para o jogo, Abel fará duas mudanças em relação ao time que iniciou a última rodada. Rodinei foi expulso e dá lugar a Heitor na lateral-direita. Na zaga, Victor Cuesta retoma seu posto de titular após cumprir suspensão.

Do meio para a frente, a única dúvida é em relação a participação de Edenilson. O meia saiu do último jogo sentindo dores na coxa e será reavaliado até a hora da partida.

A memória de 2009

A rodada desta quinta-feira, 25, à noite, se assemelha com o que aconteceu na última rodada do Campeonato Brasileiro de 2009. Na época, o Inter começou como segundo colocado e teria pela frente o rebaixado Santo André no Beira-Rio. Para ser campeão, precisava de uma vitória combinada a um empate ou derrota do Flamengo. O problema é que o adversário carioca era o Grêmio.

Sem nada para fazer no Brasileirão, o Tricolor mandou um time recheado de garotos ao Maracanã. Nesse cenário, até surpreendeu quando Roberson abriu o placar para os gaúchos, mas com gols de Adriano e Ronaldo Angelim, o rubro-negro virou e foi campeão. De nada adiantou a goleada colorada por 4 a 1.